domingo, agosto 09, 2009

Dia dos Pais - Inclassificáveis...

Deixo abaixo, um desejo, o meu desejo de que no "dia dos pais" todos possam refletir sobre os preconceitos raciais, religiosos e outros que infestam o nosso mundo...
Aqui em terra paroara e no restante de brasilis somos todos misturados, adorei escutar Ney Matogrosso cantando a música de Arnaldo Antunes - Inclassificáveis, é um soco no estômago dos babacas que se acham melhores ou superiores em relação ao restante do nosso povo.
Que preto, que branco, que índio o quê? Somos inclassificáveis... ahahaha... Que assim seja!


Que preto, que branco, que índio o quê?
Que branco, que índio, que preto o quê?
Que índio, que preto, que branco o quê?
Que preto branco índio o quê?
Branco índio preto o quê?
Índio preto branco o quê?

Aqui somos mestiços mulatos
Cafuzos pardos mamelucos sararás
Crilouros guaranisseis e judárabes

Orientupis orientupis
Ameriquítalos luso nipo caboclos
Orientupis orientupis
Iberibárbaros indo ciganagôs

Somos o que somos
Inclassificáveis

Não tem um, tem dois
Não tem dois, tem três
Não tem lei, tem leis
Não tem vez, tem vezes
Não tem Deus, tem Deuses
Não há sol a sós

Aqui somos mestiços mulatos
Cafuzos pardos tapuias tupinamboclos
Americarataís yorubárbaros

Somos o que somos
Inclassificáveis

Que preto, que branco, que índio o quê?
Que branco, que índio, que preto o quê?
Que índio, que preto, que branco o quê?
Não tem um, tem dois
Não tem dois, tem três
Não tem lei, tem leis
Não tem vez, tem vezes
Não tem deus, tem deuses
Não tem cor, tem cores
Não há sol a sós

Egipciganos tupinamboclos
Yorubárbaros carataís
Caribocarijós orientapuias
Mamemulatos tropicaburés
Chibarrosados mesticigenados
Oxigenados debaixo do sol

2 comentários:

Anônimo disse...

SEGUE MATÉRIA DO JORNAL DIÁRIO DO PARÁ.


Juiz federal é preso na praça
Juiz federal é preso na praça Batista Campos
O juiz federal da 3ª Vara especializada em ações criminais, Rubens Rollo D'Oliveira, foi preso por volta das 10h30, na praça Batista Campos, em Belém. Ele teria brigado com a esposa dele e ao ser contido por policiais teria desacatado os agentes da lei.
Segundo contou o cabo R. Silva, da Polícia Militar, o juiz precisou ser algemado para ser levado para a Seccional da Cremação, onde os delegados Duarte e Nicolau Neto avaliam o caso. A detenção do juiz foi realizada pela cabo Amélia e o soldado Coutinho, da 4ª ZPol, que estavam fazendo o policiamento na praça quando foram atender o chamado de guardas municipais que flagraram as agressões do juiz contra a mulher. Ela também está na seccional para prestar depoimento. Uma ambulância foi chamada para o local, pois ela teria passado mal.
Conforme relatou o policial, após empurrar a esposa, ela caiu no chão e ele a chutou no estômago e nas costas. Os policiais afirmaram que o casal está em processo de separação. Ao receber voz de prisão, o juiz teria se identificado e dito que não poderia ser preso. Ele ainda teria xingado os policiais acusando-os de abuso de autoridade.
O juiz federal Rubens Rollo D'Oliveira é conhecido no Pará devido aos processos de grande repercussão contra o crime organizado. Ele, por exemplo, foi quem decretou a prisão do ex-superintendente do Ibama Paulo Castelo Branco.

citadinokane disse...

Anônimo,
Esse pessoal tá enlouquecendo, meu Deus!