quinta-feira, janeiro 28, 2010

À la sincerité!

Rasgando papéis, ano novo, rasgando papéis...
Papel junto com outros, ia rasgar, olhei com calma... li, mas não tem autoria...
Será que foi enviado pelo Xico para publicar e acabei esquecendo?
Sincerité? Sei lá!
Leia aí.


Apologie à la sincerité!

Vivre la différence sans la guerre!
Paix pour les coeurs de toutes les personnes!
Sincerité, Egualité, Fraternité et Liberté!
Un nouveau chemin pour les amoreux
qui peux dire la verité enfin?





Sem vagina

Esses dias de reclusão
Em que me encontro sem vagina
E sem coração
[com angina
Penso somente com a razão
Nada de emoção
Sem entradas rápidas
Sem movimentos frenéticos
Sigo inerte
Quieta no meu mais tenebroso inverno
Mulheres sérias não têm vagina
Tem lógica
São matemáticas
Precisas e estáticas




Sem resistência

Dedos ligeiros
Roupa despida
Beleza esculpida
Sedução pura

Quero morrer nos braços teus
Sorver do teu sorriso
Delirar sem aviso

Rosto sereno
Beijos trôpegos
Quem a ti pode resistir?
É impossível
Pedem-me o impossível

Nenhum comentário: