segunda-feira, janeiro 18, 2010

Luz na vida!


Prestem atenção no texto de Rachel de Queiroz, e depois reflitam sobre a vida...

Telha de Vidro (Rachel de Queiroz)

Quando a moça da cidade chegou
veio morar na fazenda,
numa casa velha...
Tão velha!
Quem fez aquela casa foi meu bisavô...
Deram-lhe para dormir a camarinha,
uma alcova sem luzes, tão escura!
mergulhada na tristura
de sua treva e de sua única portinha...
A moça não disse nada,
mas mandou buscar na cidade
uma telha de vidro...
Queria que ficasse iluminada
sua camarinha sem claridade...
Agora,
o quarto onde ela mora
é o quarto mais alegre da fazenda,
tão claro que, ao meio dia, aparece uma
renda de arabesco de sol nos ladrilhos
vermelhos,
que - cortados - tão velhos
só hoje é que conhecem a luz do dia...
A luz branca e fria
também se mete às vezes pelo clarão
da telha milagrosa...
Ou alguma estrela audaciosa
careteira
no espelho onde a moça se penteia.
Que linda camarinha! Era tão feia!
-Você me disse um dia
que sua vida era toda escuridão
cinzenta,
fria, sem um luar, sem um clarão...
Por que você não experimenta?
A moça foi tão bem sucedida...
Ponha uma telha de vidro em sua vida!

6 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Pedro!
Quem sabe ainda, podemos destelhar totalmente e assim teremos a lua e o sol a clarear a nossa vida o tempo todo.
Linda escolha Pedro.
Bjo no coração

citadinokane disse...

Beija,
Se tu quiseres te ajudo a destelhar a vida... rsrsrs...
Muito obrigado pela visita.
Beijos

SAM disse...

Não conhecia este texto de Rachel...Lindo. Só não vale jogar pedra na minha vidraça hahahahaha. Beijoooo!

Luciana Klopper disse...

Lindo!

citadinokane disse...

Ei Sara!
Bora tirar essas telhas???

citadinokane disse...

Fessora Lu,
Fico imaginando uma vida sem telhado, é poético, não?