segunda-feira, janeiro 25, 2010

Poetisa esquecida: Adalgisa Nery.


Dá-me tua mão
E eu te levarei aos campos musicados pela
canção das colheitas.
Cheguemos antes que os pássaros nos disputem
os frutos,
Antes que os insetos se alimentem das folhas
entreabertas.

Dá-me tua mão
E eu te levarei a gozar a alegria do solo
agradecido,
Te darei por leito a terra amiga
E repousarei tua cabeça envelhecida
Na relva silenciosa dos campos.

Nada te perguntarei,
Apenas ouvirás o cantar das águas adolescentes
E as palavras do meu olhar sobre tua face muito
amada.
(Adalgisa Nery)

[Adalgisa Maria Feliciana Noel Cancela Ferreira, nome de batismo de Adalgisa Nery, foi poeta, jornalista, prosadora e política. Nasceu no Rio de Janeiro, filha de um funcionário municipal. Órfã de mãe desde os 8 anos, estudou como interna num colégio de freiras. Aos 16 anos, casou-se com o pintor paraense Ismael Nery, um dos precursores do modernismo. O casamento durou até a morte de Ismael, em 1934. Adalgisa lançou seu primeiro livro, Poemas, em 1937. Abandonou a literatura e passou a dedicar-se ao jornalismo. Também adotou a política. Foi deputada três vezes pela legenda do Partido Socialista Brasileiro. Depois do golpe militar de 1964, passou ao MDB e foi cassada em 1969. ]

2 comentários:

Érico Cordeiro disse...

Belo blog, meu caro Citadino Kane!
Vi o seu comentário no Isso é bossa nova e vim fazer-lhe uma visita. Ler um poema de Adalgisa Nery é sempre revigorante - faz bem ao espírito!
Muito bacana o seu espaço e,já que você gosta de jazz, convido-o (e aos seus inúmeros leitores) a conhecer o blog jazz + bossa + baratos outros:
www.ericocordeiro.blogspot.com
Grande abraço e até breve!

citadinokane disse...

Érico,
Visitei o teu blog e foi uma experiência muito interessante, irei mais vezes e como o layout do blog vai mudar o teu blog será linkado aqui, ok?!
abraços