terça-feira, março 30, 2010

Novo Blog: CitadinoKane News.

Novo blog no pedaço, talvez mais sério... huuummm... pelo menos existe o esforço para tal, é o http://www.citadinokane.blogspot.com/ (CitadinoKane News).
A proposta do CitadinoKane News é socializar artigos interessantes sobre política, cultura e outros temas.
Abaixo artigo de uma jovem liderança da esquerda, anotem o nome dele: Davi Carneiro. Foi dirigente do Centro Acadêmico de Direito "Edson Luiz" da Ufpa e hoje juntamente com outros jovens universitários difundem e debatem a "Economia Solidária" como alternativa ao mundo "cão" capitalista, estão organizados num coletivo denominado "Juventude Cidadania" que participa da Rede de Economia Solidária.

Vamos ao artigo, ok?!
_______________________________________________

O QUE ESTÁ EM JOGO NA POLÍTICA NACIONAL (Davi Carneiro)

1 - Talvez uma das maiores revoluções do século XX tenha sido a conquista do sufrágio universal. Conferir o mesmo peso às pessoas na hora de eleger seus representantes, pelo menos em um plano formal, é assumir a igual consideração sobre o destino de todos e todas. No entanto, entre nós, onde não raro a inserção do liberalismo político deu-se “fora de lugar”, seja pela ação demiúrgica do Estado ou mesmo pela tutela de setores oligárquicos, esta assertiva, apesar das aparências, parece longe de ser consenso. Vivenciamos hoje o retorno de um passado oligárquico que tende a nos assombrar, ou pior, a demonstração patente da face perversa do moderno que construímos até então. Leia mais...

segunda-feira, março 29, 2010

É verdade!

"Brasileiro não nasce, ele entra em campo."

Saudades de Lourdinha Passarinho

Cheguei de madrugada e ao abrir o meu e-mail, estava lá a triste notícia - a amiga Lourdinha Passarinho havia falecido na sexta-feira, professora de administração, trabalhamos juntos em duas faculdades...
Em oração continuo a pedir ao pai-todo-poderoso que abrace e cuide bem de minha amiga Lourdinha, pessoa singela e generosa.
As palavras abaixo do professor Marcos Dantas sintetizam os meus sentimentos.

"Ainda perplexo e profundamente triste com a perda da querida Lourdinha, deixo aqui minha profunda e sincera homenagem a ela. Foram anos trabalhando juntos, rindo e muitas vezes ouvindo suas histórias tão pessoais.
A saudade é grande!
Eu dizia sempre que ela não era amiga, era Mãe de quem a conhecia!
Então por isso, envio pra vocês ela em seu papel, o qual mais soube desempenhar na vida, ou seja, o Materno.
Rezemos por ela!
Marco Dantas. "

Abaixo: Lourdinha em seu aniversário de 60 anos (2009), ladeada pelas suas filhas Patrícia e Luciana.

Copacabana... Ah, meudeus!!!

Estive caminhando pela calçada mais famosa do Brasil nesse final de semana - Copacabana... princesinha do mar...
Sempre que me perco contemplando o mar em Copacabana, imagino o velho Dick Farney todo cheio de charme e voz derramando uma bela verdade: "Existem praias tão lindas, cheia de luz/Nenhuma tem o encanto que tu possuis".
Não disse nada pra ninguém, descolei uma promoção da GOL e fui resolver uma situação no Rio. Levei uns presentinhos para uma blogueira, mas houve desencontro, argh!
Fiquei por ali na Duvivier/Beco das Garrafas/Atlântica/Nossa Senhora de Copacabana... Chopinho, galetinho de leite, ah meudeus! Só na moral... o organismo não segura exageros.
Fiz amizade pra caramba com os garçons, amigos de fé e Chopp gelado, valeu!!!

Copacabana
Dick Farney
Composição: João de Barro / Alberto Ribeiro
existem praias tão lindas, cheias de luz
nenhuma tem o encanto que tu possuis
tuas areias
teu céu tão lindo
tuas sereias sempre sorrindo
Copacabana princesinha do mar
pelas manhãs tu és a vida a cantar
e a tardinha ao sol poente
deixa sempre uma saudade
na gente
Copacabana o mar eterno cantor
ao te beijar ficou perdido de amor
e hoje vive a murmurar
só a ti Copacabana

segunda-feira, março 22, 2010

A história se repete: Papão campeão!!!

Dedico esse post para o companheiro Cláudio Puty

A história se repete (como diria Nicolau Maquiavel), a grande equipe de futebol do norte do Brasil - Paysandu Sport Club, se sagrou campeã do 1º turno do Campeonato Paraense de Futebol sobre o seu eterno rival - o sofredor Clube do Remo...
Abaixo o momento em que a deusa da Vitória coroa a cabeça do valente Papão da Amazônia, o leão ao fundo ainda arqueja dando o último suspiro.
PAPÃO CAMPEÃO!!!

quinta-feira, março 18, 2010

Parachoques da vida


Sabe daquela estória que caminhoneiro é um bruto?
Parachoque duro e só o coração mole...
São brutos!
E bote brutalidade, e fica difícil esperar que sejam diferentes, os caras pegam estradas infestadas de bandidos, um olho no buraco e outro no ladrão...
Agora deixando de lado essa realidade, os parachoques dos caminhões são portadores da alegria e dureza da estrada, vai um pouco do ser "caminhoneiro", confere aí:

"80 ção! 20 ver! 100 você, não sei viver!" (bom de matemática, né?!)
"Sexo grátis, amor a combinar." (Os epicuristas estão dentro, ahahaha...)
"Seja dono de sua boca para não ser escravo de suas palavras!"(Lição do sábio Sócrates aos sofistas, esses caminhoneiros sabem filosofia...)
"Seja paciente na estrada para não ser paciente no hospital."(Slogan para o governo federal usar nas propagandas por ocasião dos feriados prolongados)
"Segredo entre três, só matando dois."(O meu amigo Edilben concorda, segredo com mais de dois é roça...)

quarta-feira, março 17, 2010

domingo, março 14, 2010

Hoje a noite não tem luar...

Com certeza é uma música cafona, como disse Renato Russo, mas sou cafona... É verdade.
Insisto percebendo poesia em situações cotidianas... Lembro quando ela sorriu pra mim e as ondas vinham beijar a praia... Lembra?!
Onde está meu amor?



Hoje a noite não tem luar (Legião Urbana)

Ela passou do meu lado
Oi, amor - eu lhe falei
Você está tão sozinha
Ela então sorriu pra mim
Foi assim que a conheci
Naquele dia junto ao mar
As ondas vinham beijar a praia
O sol brilhava de tanta emoção
Um rosto lindo como o verão
E um beijo aconteceu
Nos encontramos à noite
Passeamos por aí
E num lugar escondido
Outro beijo lhe pedi
Luar de prata no céu
O brilho das estrelas no chão
Tenho certeza que não sonhava
A noite linda continuava
E a voz tão doce que me falava
O mundo pertence a nós
E hoje a noite não tem luar
E eu estou sem ela
Já não sei onde procurar
Não sei onde ela está
Hoje a noite não tem luar
E eu estou sem ela
Já não sei onde procurar
Onde está meu amor?





sábado, março 13, 2010

A questão da maioridade penal por Nilton Atayde.

O tema é polêmico... Pelo menos iniciaremos o debate, ninguém pode tirar a vida de outrem e ficar impune, não sei o que faremos de imediato, mas urge freiar a atitude insana de alguns jovens, insistem em banalizar a morte, tiram a vida de outros jovens, velhos, crianças, a vítima não tem idade...
Todos sabem que não basta baixar a maioridade penal, a curto prazo não teríamos cadeia para colocar tantos jovens provenientes dos segmentos populares (mais expostos a situação de risco social). Precisamos de políticas de inclusão social, diminuindo a miséria atenua-se a violência. Geração de empregos... Por favor! Chamem os intelectuais com as soluções, por favor...
O texto abaixo é do estudioso do tema - Nilton Atayde, vamos ler!
_______________
A QUESTÃO DA MAIORIDADE PENAL.

Em recente reportagem publicada no jornal “O Liberal”, o advogado Ari Friendebach, que teve sua filha, Liana Friendebach, de 16 anos, e o namorado dela, Felipe Caffé, de 19 anos, assassinados barbaramente por uma quadrilha cuja liderança cabia ao adolescente conhecido como “Chapinha”, de 16 anos, fato ocorrido em um sitio abandonado em Embu-Guaçu, na grande São Paulo, sugeriu que, face a impossibilidade de modificação da maioridade penal, a alternativa para a punição exemplar de crimes hediondos cometidos por menores seria a emancipação.
A emancipação é o instituto do direito civil que consiste na antecipação, digamos assim, da maioridade sob o ponto de vista jurídico.
O Código Civil prevê, expressamente, os casos em que a emancipação se processa em favor daquelas pessoas que ainda não atingiram a idade legal para o pleno exercício de seus direitos.
Não há previsão da emancipação na esfera penal.
Quando o advogado propõe a criação da emancipação na esfera penal, o faz justamente porque entende que a redução da maioridade penal no Brasil, “não pode ser modificada”.
Na verdade, há muito se vem discutindo, no Brasil, sobre a possibilidade ou não da redução da maioridade penal.
Há duas vertentes no entendimento doutrinário: uma que acha possível a redução mediante uma simples emenda constitucional, e outra que entende inviável a redução por ser a maioridade penal uma “cláusula pétrea” na Constituição Federal.
O entendimento majoritário – e portanto predominante – é o segundo, isto é, o de que a questão da maioridade penal é “cláusula pétrea”. Os argumentos que o fundamentam são os seguintes:
A nossa constituição federal em vigor é classificada, quanto a sua estabilidade, como rígida, ou seja, para que se proceda a alterações de suas normas é necessário uma verdadeira “via crucis” legislativa, o que inclui a discussão e a votação da proposta tanto na Câmara Federal quanto no Senado, em dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos os turnos, três quintos dos votos dos respectivos membros. E para completar, a própria constituição impõe limites para a modificação ou supressão de algumas normas, o que a doutrina pátria denomina de “cláusulas pétreas”. Elas estão previstas no artigo 60, parágrafo 4º,inciso IV. Vejamos:

“Art.- 60. A constituição poderá ser emendada mediante proposta:
(...)
§4º. Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir:
I – a forma federativa de estado;
II – o voto direto, secreto, universal e periódico;
III – a separação dos poderes;
IV – os direitos e garantias individuais (grifei)”

As cláusulas pétreas, portanto, são aquelas que não podem ser modificadas ou suprimidas da constituição, e seriam essas que estão elencadas no artigo constitucional acima mencionado.
Pois bem, o citado artigo da constituição não faz referencia a maioridade penal. Assim, a priori, pode-se entender que as “cláusula pétreas” são apenas aquelas constantes do art. 60,§ 4º, da CF.
Na verdade, a questão da maioridade penal tem substrato constitucional com previsão no artigo 228, da CF, que preconiza o seguinte: “São penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos, sujeitos às normas da legislação especial”. O que se discute doutrinariamente é se esta norma estaria inserida ou não na concepção de um direito fundamental, de modo a considerá-la uma “cláusula pétrea”.
A maioria e os mais abalizados professores do assunto acham que sim. Entendem que a previsão de inimputabilidade por idade (18 anos), constante do texto constitucional, foi imposta pelo poder constituinte originário, configurando-se, portanto, em uma garantia individual, um direito fundamental. Se assim não fosse, o constituinte originário não teria deixado expresso, tal condição, no texto da constituição, relegando às leis ordinárias o limite de idade da imputabilidade.
Dessa forma, o legislador ao limitar o direito do Estado na punição aos menores de dezoito anos, elevou tal circunstância a condição de direito fundamental, imiscuindo-se, dessa forma, no contexto do art. 60,§ 4º., inc. IV, da CF, de modo que, qualquer proposta no sentido de reduzir a maioridade penal, não poderá sequer ser objeto de deliberação.
Por fim, urge salientar que o Supremo Tribunal Federal – STF – na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) no. 939, de 1993, decidiu pela existência de outros princípios e normas imutáveis fora do art. 5º. da Constituição Federal, o que significa dizer que as cláusulas pétreas não são somente aquelas previstas no art. 60,§4º. da Lei Maior.
À propósito, o professor doutor Alexandre de Moraes, reconhecidamente um dos mais brilhantes constitucionalistas brasileiros na atualidade, leciona que “...assim, o art 228 da Constituição Federal encerraria a hipótese de garantia individual prevista fora do rol exemplificativo do art. 5º., cuja possibilidade já foi declarada pelo STF em relação ao art. 150,III,”b”(Adin 939-DF) e conseqüentemente, autentica clausula pétrea prevista no art. 60,§4º.,IV” (2005, p. 2176).
Sendo assim, tem razão o advogado Ari Friendebach quando afirma que a maioridade penal brasileira não pode ser modificada. Não sei, porém, se a contrapartida dessa conclusão – a “emancipação penal” do menor infrator – teria amparo legal, o que pode ser objeto de análise em outra oportunidade.
O certo é que, diante do entendimento da doutrina brasileira, a redução da maioridade penal somente poderá acontecer através de uma nova assembléia constituinte, uma vez que só o poder constituinte originário – por não estar atrelado às normas jurídicas antecedentes, inclusive constitucionais – detém poderes bastantes e legítimos para assim proceder.

Nilton Atayde
Delegado de Polícia Civil.

sexta-feira, março 12, 2010

Lutar contra o Imperialismo onde quer que se encontre.

Sempre me posicionei com as propostas da esquerda...
Na juventude tive a incompreensão da família, muitas vezes chorei de raiva por ser uma voz dissonante e ridicularizada por pessoas que se alimentavam da ditadura. O tempo passou...
Não me considero o dono da verdade e não sou agressivo na defesa das minhas posições ideológicas, a vida me ensinou a ser tolerante, sigo tolerante com as posições que divergem comigo, por princípio sou tolerante... Só não tolero a fome, a negação da condição humana, não tolero!
Acredito que outros outubros virão e um outro mundo é possível!
Vou reproduzir o post do blog Vozes Militantes, ok?
Abaixo texto postado pelo blogueiro socialista João Pinto Durães, mas adora assinar com a-o-til-no-final, ahahaha... Impagável este gajo, ô pá!
_________________________________
"Companheiros e companheiras,
Eis-me aqui para dizer em alto e bom tom, não conheço um cara da direita que tenha sacrificado a sua vida em favor de uma causa, de um povo, de uma utopia... Nunca! Eles preferem ficar em suas torres de marfim, contando vis metais...
Existiram muitos militantes de esquerda aqui e alhures que colocaram a própria vida em risco e até morreram por acreditarem que: Um outro mundo é possível!
Diante do embate com a direita tucana e a DEMoníaca, trago para o Terra Brasilis o "Discurso de Despedida de Che Guevara". Confesso que me emociono ainda, cada palavra do Che soa como uma profunda sinceridade revolucionária... Existe amor, não ódio...
Posto o discurso de despedida para fortalecer a nossa luta em favor de uma mulher de fibra e que lutou contra a opressão, sendo torturada cruelmente.
Dilma é de uma dignidade ímpar...
Estamos contigo companheira!




Che Guevara - Discurso De Despedida
A Fidel Castro
Havana. “Ano da Agricultura” 1965
Fidel:
Neste momento recordo muitas coisas: quando te conheci em casa da Maria Antónia, quando me propuseste acompanhar-te, toda a tensão dos preparativos.
Um dia passaram perguntando a quem se devia avisar em caso de morte, e a possibilidade real do fato chocou-nos a todos. Depois soubemos que era certo, que numa revolução se triunfa ou se morre, se é verdadeira, e muitos companheiros ficaram ao longo do caminho para a vitória.
Hoje todos temos um tom menos dramático porque estamos mais maduros, mas o fato repete-se. Sinto que cumpri a minha parte do dever que me ligava à revolução Cubana no seu território e despeço-me de ti, dos companheiros, do teu povo, que é já o meu.
Renuncio formalmente aos meus cargos na direção do Partido, ao meu posto de ministro, ao meu grau de comandante, à minha condição de cubano. Nada legal me liga a Cuba, só laços de outra classe que não se pode partir como as nomeações.
Ao rever a minha vida passada, creio ter trabalhado com suficiente honestidade e dedicação para consolidar o triunfo revolucionário. O meu único erro com alguma gravidade foi não ter confiado mais em ti desde os primeiros momentos da Sierra Maestra, e não ter compreendido com celeridade suficiente as tuas qualidades de dirigente e de revolucionário.
Vivi dias magníficos e senti ao teu lado o orgulho de pertencer ao nosso povo nos dias luminosos e tristes da Crise das Caraíbas. Poucas vezes brilhou mais alto um estadista que nesses dias; orgulho-me também de te ter seguido sem vacilar, identificado com a tua maneira de pensar e de ver e apreciar os perigos e os princípios.
Outras serras do mundo reclamam o concurso dos meus modestos esforços. Eu posso fazer o que te está negado pela tua responsabilidade à frente de Cuba e chegou a hora de separar-nos.
Saiba que o faço com uma mescla de alegria e dor: aqui deixo o mais puro das minhas esperanças de construtor e o mais querido entre os meus seres queridos, e deixo um povo que me admitiu como um filho; isso lacera uma parte do meu espírito; aos novos campos de batalha levarei a fé que me inculca, o espírito revolucionário do meu povo, a sensação de cumprir com o mais sagrado dos deveres: lutar contra o imperialismo onde quer que se encontre; isto reconforta e cura amplamente qualquer aflição.
Repito mais uma vez que liberto Cuba de qualquer responsabilidade, salvo a que emana do seu exemplo; que se a hora definitiva me chegar sob outros céus, o meu último pensamento será para este povo e especialmente para ti; que te digo obrigado pelos teus ensinamentos e pelo teu exemplo, ao que tentarei ser fiel até as últimas conseqüências dos meus atos; que estive sempre identificado com a política externa da nossa Revolução, e continuo a estar; que onde quer que me detenha sentirei a responsabilidade de ser revolucionário cubano, e como tal atuarei; que não deixo aos meus filhos e à minha mulher nada material e não me apena: alegra-me que assim seja. Que nada peço para eles, pois o Estado dar-lhes-á o suficiente para viver e educar-se.
Teria muitas coisas que dizer a ti e ao nosso povo, mas sinto que não são necessárias as palavras e não podem expressar o que eu desejaria; não vale a pena deitar mais borrões no papel.
Até a vitória sempre. Pátria ou morte!
Abraço-te com todo o fervor revolucionário,
Che
_______________________
Visite e divulgue o http://www.vozes-militantes.blogspot.com/

quarta-feira, março 10, 2010

Oh, Lua!

Vi a imagem abaixo no Portal Terra, a natureza em sua mais pura dimensão - como diria o meu amigo Oliviomar: - É fantástico!
Não poderia ficar indiferente, afinal de contas estamos falando da eterna lua, que influencia as marés, os organismos de mulheres e homens... Que aos românticos prepara o luar com luz mole (linguagem de fotógrafo, ok?!) e tudo para amolecer corações... Ah! os românticos... povinho doido.
Já fui um ser que se banhava mais dessa luz... Mesmo não mais dialogando com São Jorge e o velho dragão, continuo admirando a bela lua.
Agora um segredar bandido em vossos ouvidos, como segredo de liquidificador, não vale passar adiante: - A lua já foi minha! Juro que é verdade.
A imagem foi capturada durante um eclipse total do Sol ocorrido em julho de 2009 nas Ilhas Marshall, na Micronésia, no Oceano Pacífico.

Na imagem, a radiação da superfície solar aparece como uma densa fumaça formando uma coroa em volta da sombra da Lua, no momento em que esta encobre completamente o Sol
Foto: Universidade de Tecnologia de Brno /Divulgação
Fonte: Redação Terra

Simples conselho.


"Recolha, em cada dificuldade, a mensagem
oculta de advertência para a vida.
Obstáculo vencido - aprendizagem inesquecível."

Marco Prisco (psicografado por Divaldo P. Franco)

segunda-feira, março 08, 2010

domingo, março 07, 2010

Pedrinho e Zé Renato.

Quero dizer que o Pedrinho Cavalléro é safo!
Sustentou com o afinado e famoso Zé Renato (Boca Livre), "como tem Zé na Paraíba", na moral Pedrinho fez improviso leve e solto (sem patrulhamento por favor!).
Sempre achei que o Pedrinho é um tremendo Zé, ahahaha... Os dois, Zé Renato e Zé Pedro, mostram qualidade, é talento puro!
Como têm Zé na Paraíba, com Zé Renato & Zé Pedro Cavalléro...

Novos Estados no Pará???


Abro minha casa e recebo fraternalmente mineiros, paulistas, goianos, gaúchos, maranhenses... Uma porrada de gente de fora do Pará.

Depois de um tempo sabe o que acontece?

Eles querem me colocar pra fora e falar que a casa é deles.

Ministrei aulas em Marabá e Santarém, bons tempos...

A Universidade Federal do Pará acreditava na integração da região e investiu pesado na interiorização do ensino superior, íamos com força e vontade lecionar em vários municípios do Pará, expandíamos as possibilidades de criar uma massa crítica no Estado do Pará, investimentos pesados foram feitos.
Quando chegava em Marabá, uma terra de oportunidades, comecei a sacar quem mandava na economia.
Quem tinha grana mandava... Marx confirmava que quem detinha o domínio econômico, manda...
E não demoraram para dizer que dividir era melhor.
Existem argumentos falaciosos, dizem que são esquecidos...
Se levantarmos as últimas composições do Legislativo estadual, veremos que a composição de deputados estaduais é fortíssima nas regiões que conspiram pela divisão do Estado. A pergunta que não quer calar: - Por que não pressionaram por suas regiões? Políticas e investimentos foram esquecidas pelos políticos da região, preferiram servir ao governador de plantão.
Já disse para o poeta Paulo Paixão de Santarém que apóia a divisão do Pará, não aceito a divisão, vamos dividir pobreza...
Existem despesas pesadas para cada Estado criado: Carajás e Tapajós.
Bancar cada estrutura: Legislativo, executivo e judiciário... É muito!
Não são os cabôclos paroaras que vão assumir o comando dos Estados nascentes...
São os bacanas de fora... Aposto um milhão! Quem topa? Mas é um milhão casado, ok? Quem se habilita?

Palavras & Sons um novo blog.

Gostei muuuiiito de visitar um blog teen, não sabia que eles gostavam de escrever tanto. A jovem blogueira manda bem.
Vamos apoiar a juventude, vai lá e comenta, ok?!
Clica aí em Palavras & Sons .
Bora ajudar essa juventude que quer construir um futuro melhor.

sábado, março 06, 2010

Queda no número de assinantes da Revista Veja: Reunião quente...

Alfredo Goés enviou-me o vídeo abaixo, dizendo que se tratava de uma reunião na redação da Revista Veja sobre a queda de assinantes da revista. É hilário, ahahaha...
É uma pena ver como a credibilidade de um semanário vai se desmanchando no ar.

Sandra Batista convoca ato cultural em homenagem à Mulher.

Fernando Maia Coordenador Geral da candidatura ao Legislativo Estadual da atual Vice-Prefeita de Ananindeua - Sandra Batista, faz o convite para que todos os companheiros de esquerda estejam presentes no domingo 7/Março às 18h00 na Praça da Bíblia - Cidade Nova 2, para uma vasta programação cultural em torno do dia Internacional das Mulheres. Será acima de tudo, um ato político!


Abaixo a homenagem de Sandra Batista, diria que a própria luta de Sandra traduz a luta de uma mulher de muitas lutas...

quinta-feira, março 04, 2010

Ah! se a juventude que esta brisa canta...

Como não lembrar de D. Maria em uma das Varas Cíveis do Fórum de Belém, atendendo-me com um sorriso contagiante e cantarolando, afinadíssima, a canção de Johnny Alf...
Já faz algum tempo, mas D. Maria como se fosse uma dessas Divas americanas, afinadíssima, é sério! Continua cantarolando na minha cabeça: "Ah! se a juventude que esta brisa canta..."
Fiquei impregnado de Johnny Alf, culpa de D. Maria, através do canto singelo... Sigo em pensamento dizendo: - Não pára D. Maria, canta mais!
Escrevo neste momento para expressar o meu pesar, nós perdemos um artista que escreveu lindas partituras, canções, letras... Perdemos nós, perde o Brasil.
Johnny Alf morreu aos 80 anos, nesta quinta-feira, o câncer na próstata foi mais forte, ele perdeu... ele perdeu?
Desde de 2007 vinha lutando contra a doença, Toquinho chegou a fazer um show beneficiente em favor de Johnny Alf, este não tinha filho, mulher ou cachorro, não tinha parente vivo.
Escuto neste momento "Eu e a brisa" na voz de Johnny Alf, recusei o Periquita, e posso explicar, sempre que escuto bossa nova corro para a coqueteleira e homenageio Tom Jobim, Vinicius e agora Johnny Alf - com gin, martini, menta, limão e gêlo.
Muitos drinques e uma revolta incontida, balbucio com o olhar vidrado: - Por que Deus meu, tu não levas os caras do axé music?
E Deus não responde, e impõe um silêncio mortal, tendo por fundo musical o som pachorrento do "rebolation"... Ai Jesus me chicoteia!

Eu e a brisa (Johnny Alf)
Ah! se a juventude que esta brisa canta
Ficasse aqui comigo mais um pouco
Eu poderia esquecer a dor
De ser tão só pra ser um sonho
Dai então quem sabe alguém chegasse
Buscando um sonho em forma de desejo
Felicidade então pra nós seria
E, depois que a tarde nos trouxesse a lua
Se o amor chegasse eu não resistiria
E a madrugada acalentaria a nossa paz
Fica, oh brisa fica pois talvez quem sabe
O inesperado faça uma surpresa
E traga alguém que queira te escutar

segunda-feira, março 01, 2010

Decepções e expectativas.



"Ninguém é culpado pelas minhas decepções;
elas são resultado das minhas expectativas"
(Erika Murari)

Conspirações, inconfidências e subversivos.


Casa de Maria é um lugar para conspirações... Inconfidências culturais e políticas.
A casa de Mariazinha é um verdadeiro Café Jacobino, muitos aparecem por lá para declamar poesias, outros com violão para mostrar música nova e mais outros para planejar como vão tomar o poder...
Sábado estive lá, além dos papos sobre política, rolou uma viola com Eduardo Bueres e Pedrinho Cavalléro.
Pedrinho com vários Cds lançados, completou recentemente 30 anos de palco e estrada. Grande compositor e intérprete, guardo na minha memória um show inesquecível em que Pedrinho e Zé Renato (Boca Livre) compartilharam o palco no Teatro Margarida Schiwazzappa, os dois interpretaram pérolas da MPB...
Pedrinho com sua arte nos acolhe com simplicidade e alegria.
A casa de Maria é lugar subversivo...