domingo, março 07, 2010

Novos Estados no Pará???


Abro minha casa e recebo fraternalmente mineiros, paulistas, goianos, gaúchos, maranhenses... Uma porrada de gente de fora do Pará.

Depois de um tempo sabe o que acontece?

Eles querem me colocar pra fora e falar que a casa é deles.

Ministrei aulas em Marabá e Santarém, bons tempos...

A Universidade Federal do Pará acreditava na integração da região e investiu pesado na interiorização do ensino superior, íamos com força e vontade lecionar em vários municípios do Pará, expandíamos as possibilidades de criar uma massa crítica no Estado do Pará, investimentos pesados foram feitos.
Quando chegava em Marabá, uma terra de oportunidades, comecei a sacar quem mandava na economia.
Quem tinha grana mandava... Marx confirmava que quem detinha o domínio econômico, manda...
E não demoraram para dizer que dividir era melhor.
Existem argumentos falaciosos, dizem que são esquecidos...
Se levantarmos as últimas composições do Legislativo estadual, veremos que a composição de deputados estaduais é fortíssima nas regiões que conspiram pela divisão do Estado. A pergunta que não quer calar: - Por que não pressionaram por suas regiões? Políticas e investimentos foram esquecidas pelos políticos da região, preferiram servir ao governador de plantão.
Já disse para o poeta Paulo Paixão de Santarém que apóia a divisão do Pará, não aceito a divisão, vamos dividir pobreza...
Existem despesas pesadas para cada Estado criado: Carajás e Tapajós.
Bancar cada estrutura: Legislativo, executivo e judiciário... É muito!
Não são os cabôclos paroaras que vão assumir o comando dos Estados nascentes...
São os bacanas de fora... Aposto um milhão! Quem topa? Mas é um milhão casado, ok? Quem se habilita?

Nenhum comentário: