quinta-feira, abril 29, 2010

Olivar Barreto canta Noel Rosa.

Um dos cantores paraenses com a voz mais afinada: Olivar Barreto.
Assistir o Olivar cantar é um prazer, como diria o meu amigo Oliviomar: - É fantástico!
Quinta-feira EU VOU!
Vem prestigiar a melhor música paraense.

quarta-feira, abril 28, 2010

Ditado revisitado II

Mais um ditado revisitado...
Caderninho na mão com caneta, anota aí...
"Quem cedo madruga...
fica com sono o dia inteiro."

segunda-feira, abril 26, 2010

Filhos melhores para o mundo.

Amigo mandou-me um e-mail e no final fez uma pergunta. Fica o questionamento dele para refletirmos durante a semana.

Em vez de querer deixar um mundo melhor
para os filhos,
por que não deixar filhos melhores
para o mundo?

Felicidade autêntica e verdadeira.

Li um livro do Educador Celso Antunes "A linguagem do afeto", um verdadeiro tesouro...O subtítulo do livro: "como ensinar virtudes e transmitir valores".
Ensinamentos que ficaram guardados...  no meu coração.

"O verdadeiro sentido de uma educação com amor não deveria ser o acalanto do sonho de apenas desejar felicidade, mas de poder esmiuçar as pequeninas coisas que a estruturam e, serenamente e a cada dia, construir o objetivo de saber buscá-la. Felicidade não é estado perene que se alcança para toda vida ou bem estável que se compra, mas passos miúdos que se dá a cada dia e em cada coisa que se busca encontrar. Diferentemente de um animalzinho que se sente feliz quando se descobre seguro, com conforto e sem fome, o ser humano pensa, reflete, troca anseios e, sobretudo, tem sonhos que a cada minuto se alteram e que a cada instante se reconstroem.
(...)Há uma falsa felicidade que se esconde no imediatismo - é a felicidade pela bala que se ganha, pelo cigarro que se fuma, pela droga na qual se vicia - e há uma felicidade autêntica e verdadeira - que é um estado permanente de segurança, alegria, auto-estima, coragem etc." (Cellso Antunes)

sexta-feira, abril 23, 2010

Salve São Jorge!

Valei-me, meu São Jorge!

Peço-te a tua lança e armadura,
para as minhas lutas mais comezinhas...
A metáfora da vestimenta e arma,
traduz a retidão do caráter e generosidade
que impregna os virtuosos...
Todos os dias
enfrentamos dragões...
Uns a nos devorar por dentro...
E outros a nos espreitar cotidianamente.
Com a armadura da fé,
meus inimigos não me alcançarão.
Com a lança da dignidade
afastarei os dragões do egoísmo,
arrogância e desesperança...
Salve São Jorge!

quinta-feira, abril 22, 2010

Ditado revisitado

Caderninho na mão e caneta, anota aí, ok?

O dito popular revisitado:
"Quem não tem cão, caça com gato."

O correto é:
"Quem não tem cão, caça como gato..."
Ou seja, sozinho!

quarta-feira, abril 21, 2010

Escuto as rosas...

Despeço-me do feriado de Tiradentes com as palavras de Cecília Meireles.

"Tudo me fala e entende do tesouro
arrancado a estas Minas enganosas,
com sangue sobre a espada, a cruz e o louro.

Tudo me fala e entendo: escuto as rosas
e os girassóis destes jardins, que um dia
foram terras e areias dolorosas,

por onde o passo da ambição rugia;
por onde se arrastava, esquartejado,
o mártir sem direito de agonia."

(Romanceiro da Inconfidência por Cecília Meireles)

sábado, abril 17, 2010

Adultério: chifres, cornos e contidos.

Certa vez, um amigo me perguntou sobre o que eu achava do adultério, respondi pra ele dizendo que eu não depositava muita importância nessa questão. Penso que devemos refletir mais um pouco sobre esse tema polêmico.
A palavra adultério vem de uma frase em latim: ad alterum torum. Qual o significado? Não poderia ser outro mais libidinoso: "Na cama de outro".
Como diria o Tico Futrika: - É só libido, mano!
Para o bom entendedor é isso mesmo, a frase se refere à prática da infidelidade conjugal, quedeusnosproteja!
Na Idade Média o negócio pegava...
Sem sombra de dúvida, o caldo cultural machista sempre acentuou a gravidade da infidelidade conjugal quando praticada pela mulher casada.
No medievo quando ocorria o nudus cum nuda im oedem lectum, era considerado muito grave, traduzindo para o bloguês a frase em latim: "Nu com nua na cama".
E aí?
Prepara a mala, a sacolinha e fui... A vida corria risco, provavelmente a mulher casada já era!
Agora, quando se tratava do solus cum sola im solitudine. A gravidade menor da situação possibilitava um suspiro de vida, o significado da frase: "Ele só com ela". Colocava a dúvida, nunca a certeza. Vida salva? Talvez...
O primeiro Código Penal Republicano (1890) buscando garantir o pátrio poder, a propriedade privada, evitando a existência de herdeiros (filhos) bastardos, considerou o adultério um crime (art. 279).
O adultério continuou criminalizado no Código Penal de 1940 (art. 240), o ranço da sociedade patriarcal ainda se fazia sentir... O homem era a cabeça da família. Entendeu?
Como crime o adultério tinha que ser coibido pelo Estado. Quando o Pater Famílias era traído pela “rainha do lar”, se dizia zombeteiramente que ele havia levado “cornos”, isto é, “chifres”... Quando la mierda estava feita, os samangos chegavam com o chefe de polícia e diziam: - Chefe tem um senhor aí exaltado, parece que é caso de “cornos”.
O chefe respondia: - Manda esse “corno” entrar.
O símbolo da discórdia no lar se substantivou na figura impoluta do pai da família, doravante, todo marido traído por seu cônjuge passou a ser alcunhado na linguagem coloquial de CORNO.
O Estado tinha que mobilizar recursos para conter a fúria dos atraiçoados que buscavam a vindita, investigação para prender o “Ricardão”... A vida era mais simples, menos complexa, daí as pessoas se preocuparem com os “chifres” alheios...
Com o passar do tempo, veio o desenvolvimento industrial, a modernização da sociedade brasileira, liberalização dos comportamentos, o “chifre” passou a fazer parte do anedotário nacional, e o Estado deixou de correr atrás do “Ricardão”.
A sociedade atual passou a considerar o adultério um problema não mais de esfera pública, mas, da esfera privada.
Os sociólogos sustentam que neste caso ocorre uma ineficácia social da legislação, isto é, existe a previsão legal do ilícito, mas a sociedade não considera como crime a conduta...
“Chifre” é esfera privada, o relacionamento não deu certo, fazer o quê?
Primeira opção a boa conversa, franca e honesta. Não deu certo? Procure um bom psicanalista e faça uma terapia de casal. Não deu certo? Pega o telefone e liga para o programa da Tv Record “Fala que eu te escuto” e com certeza o pastor de plantão tem a solução mágica para o relacionamento conjugal.
Depois de tudo isso, se o “chifre” continuar?
Pô! Separa.
Para encerrar, o adultério como crime foi revogado pela Lei 11.106 de 2005.
O engraçado de toda a história do adultério é que continuamos empapuçados de machismo, em tempos de blogosfera, ainda se considera que a mulher quando trai é a pior das pessoas...
Amigo nosso blogueiro [não revelarei o nome mesmo sob ameaça de faca amolada], casado na época, metido a D. Juan flertava com um mundo de mulheres, sempre sorridente, sedutor e etc., sempre me preocupo com os galanteadores ousados e casados... Quando vem a separação, perdem muito, às vezes até o respeito dos filhos, além é claro da pensão, empobrecem um pouco.
Mas, voltemos ao amigo Dom Juan, sedutor, sorridente... A mulher dele sacando as estripulias do sedutor, se vingou enroscando um par de “chifres” no galã.
Qual foi a reação do bonitão quando descobriu a traição?
Enlouqueceu, foi bater na casa do “Ricardão” e chorando contou a história dele para a esposa do Ricardo... E quando encontrou o “pé-de-pano” na rua, virou a barbárie, se enrolou no chão com o “sombra” e o pior de tudo, o Ricardão entupiu ele de “porrada”. Com vergonha da palhaçada que fizera, se fechou no quarto por um mês, a barba cresceu, começou a fumar e sumiu por um ano...
Depois retornou ao convívio dos amigos, mais maduro, um pouco mais contido.

Para a reflexão de todos.
Ao se deparar com alguns fariseus e escribas repletos de ódio que acusavam uma mulher de ser adúltera e exigiam que ela fosse apedrejada, conforme a lei de Moisés, Jesus toma uma pedra do chão e a levanta para a multidão furiosa, dizendo: “O que está puro entre vós atire a primeira pedra” (João 8:7).

quinta-feira, abril 15, 2010

Aqui está minha vida.

"Vejo-te no escuro, cidade enigmática.
Chamas com urgência, estou paralisado.
De ti para mim, apelos,
de mim para ti, silêncio.
Mas no escuro nos visitamos.



Escuto vocês todos, irmãos sombrios.
No pão, no couro, na superfície
macia das coisas sem raiva,
sinto vozes amigas, recados
furtivos, mensagens em código."
(Carlos Drummond de Andrade)

Dedico o post aos blogueiros que ouviram o meu convite para estender as suas relações... e eles vieram e falaram de coisas bonitas.
Quase que ia esquecendo que o meu monitor é uma janela para o mundo.
Compartilhar impressões sobre o mundo, sobre a vida, vida que insiste em pulsar...
Eis-me aqui para agradecer o dom da vida.
Iniciei com o poeta Carlos Drummond de Andrade e finalizarei com a poetisa Cecília Meireles.
Beijo no coração.

Aqui Está minha Vida (Cecília Meireles)
Aqui está minha vida - esta areia tão clara
com desenhos de andar dedicados ao vento.
Aqui está minha voz - esta concha vazia,
sombra de som curtindo o seu próprio lamento.
Aqui está minha dor - este coral quebrado,
sobrevivendo ao seu patético momento.
Aqui está minha herança - este mar solitário,
que de um lado era amor e, do outro, esquecimento.

segunda-feira, abril 12, 2010

Nasce torto...


Mais um ditado para ser corrigido, papel e caneta na mão, anota aí e divulgue, ok?! Então lá vai!

"Pau que nasce torto...

                                     urina no chão."

domingo, abril 11, 2010

Novo post no Citadino News

DILMA É LULA E LULA É DILMA. (Pedro Nelito Jr.)*
Aécio Neves buscou virar pré-candidato do PSDB para a eleição presidencial de 2010, mas a base paulista não permitiu. A hora era de Aécio. Serra insistiu e fincou o pé, o PSDB nacional a contragosto aceitou, FHC andou tagalerando a favor de Serra.  Aécio perdeu, o PSDB pode perder muito mais, apostou todas as cartas em Serra. E se o eleitorado se convencer de que Dilma é Lula?!
O eleitor quer continuidade, basta analisar que Lula atingiu mais de 80% de aprovação. Não é para ficar assustado se o candidato Serra no horário eleitoral for mais lulista do que Dilma... leia mais...

quinta-feira, abril 08, 2010

Renzo Mártires e sua música: Areia de Algodoal.

Querem saber de uma coisa?
Pô! descobri que o Renzo manda bem pra garaio com o violão nas mãos... E o negócio é sério!
Além dos processos jurídicos, o cara é estradeiro some no asfalto com a sua posante Harley Davidson.
Apreciem a música dele "Areia de Algodoal", muito boa a qualidade, o balanço havaiano, né?!
Anotem o nome do compositor e cantor: Renzo Mártires.
Valeu Renzo!

Onde a razão não tem vez: Érato.

"Poesia, poesia onde estás?!
O jardim apaixonou-se pela primavera...
Ânsias, vômitos e desejos...
Como Godot espero por ti."
(um homem doidivanas a perambular por Belém, noite e madrugada aos gritos)


Sigamos perseguindo a bela poesia, sigamos perseguindo sentimentos e só.
Sigamos Lenita em seu Blog ÉRATO, a poesia segundo ela, vem da alma e aí a razão não tem vez, então visita a Lenita em:  http://eratoaamavel.blogspot.com/

segunda-feira, abril 05, 2010

A Alma paraense segundo Armando Nogueira

Armando Nogueira, falecido recentemente (29/03/2010), considerado um dos maiores cronistas do futebol brasileiro. Armando Nogueira, segundo Nilton Atayde, tinha uma virtude que o distinguia dentre os cronistas que atuavam no sul do país, declarava-se bicolor, era PAYSANDU, e se orgulhava disso.
Para Nilton, Armando se rendeu aos encantos do esquadrão bicolor.
Vamos ao artigo escrito em 7 de agosto de 2002  leia mais...

Humildade


"A humildade é a chave de nossa libertação". (Emmanuel - Chico Xavier, do livro: LUZ NO LAR).

sexta-feira, abril 02, 2010

Novo Layout

O visual do blog mudou.
Tudo é experimentação, vou arrumando a casa aos poucos.
Muita insegurança, mas mudamos...

"É nóis" no twitter, mano!

Resisti o quanto pude. Juro!
O passarinho azul pousou na minha janela e não quis mais sair, ou melhor dizendo, ele sai, mas me leva nas asas e já me emboletei com um monte de gente por causa do passarinho azul...
A imposição: - Dizer tudo em 140 caracteres!
Ufa! Nós que somos do blog grande, temos que dar um jeito no miniblog... É difícil no começo, depois fica a vontade de não largar mais.
Visite o meu Twitter, anota aí:
twitter.com/pedronelito

quinta-feira, abril 01, 2010

Páscoa


Uma Feliz Páscoa!

Oliviomar e Wilson Aragão: Capim guiné.

Perdi no ano passado a oportunidade de compartilhar alguns momentos com o parceiro de Raul Seixas.
Oliviomar me ligou e fez o convite para bebermos uns cálices de vinho "Periquita" na casa dele com o compositor Wilson Aragão... não fui. Perdi!
Segundo o Olívio - o Wilson foi maravilhoso! Contou muitos causos dele e de Raul Seixas.
O Wilson veio para o Fórum Mundial Social e foi devidamente escoltado pelo véio Rui "Baiano" Santana.



Capim Guiné
Raul Seixas
Composição: Raul Seixas / Wilson Aragão
Plantei um sítio
No sertão de Piritiba
Dois pés de guataiba
Caju, manga e cajá

Peguei na enxada
Como pega um catingueiro
Fiz acero, botei fogo
"Vá ver como é que tá"

Tem abacate, jenipapo
E bananeira
Milho verde, macaxeira
Como diz no Ceará

Cebola, coentro
Andu, feijão-de-corda
Vinte porco na engorda
Até o gado no currá

Com muita raça
Fiz tudo aqui sozinho
Nem um pé de passarinho
Veio a terra semeá

Agora veja
Cumpadi, a safadeza
Cumeçô a marvadeza
Todo bicho vem prá cá

Num planto capim-guiné
Pra boi abaná rabo
Eu tô virado no diabo
Eu tô retado cum você

Tá vendo tudo
E fica aí parado
Cum cara de viado
Que viu caxinguelê

Suçuarana só fez perversidade
Pardal foi pra cidade
Piruá minha saqüé
Qüé! Qüé!

Dona raposa
Só vive na mardade
Me faça a caridade
Se vire e dê no pé

Sagüi trepado
No pé da goiabeira
Sariguê na macaxeira
Tem inté tamanduá...

Minhas galinha
Já num fica mais parada
E o galo de madrugada
Tem medo de cantá

Num planto capim-guiné
Pra boi abaná rabo
Eu tô virado no diabo
Eu tô retado cum você

Tá vendo tudo
E fica aí parado
Cum cara de viado
Que viu caxinguelê

Num planto capim-guiné
Pra boi abaná rabo
Eu tô virado no diabo
Eu tô retado cum você

Tá vendo tudo
E fica aí parado
Cum cara de viado
Que viu caxinguelê

Num planto capim-guiné
Pra boi abaná rabo
Eu tô virado no diabo
Eu tô é, tô é retado cum você

Tá vendo tudo
E fica aí parado
Cum cara de viado, ôme?
Que viu caxinguelê