quinta-feira, abril 08, 2010

Onde a razão não tem vez: Érato.

"Poesia, poesia onde estás?!
O jardim apaixonou-se pela primavera...
Ânsias, vômitos e desejos...
Como Godot espero por ti."
(um homem doidivanas a perambular por Belém, noite e madrugada aos gritos)


Sigamos perseguindo a bela poesia, sigamos perseguindo sentimentos e só.
Sigamos Lenita em seu Blog ÉRATO, a poesia segundo ela, vem da alma e aí a razão não tem vez, então visita a Lenita em:  http://eratoaamavel.blogspot.com/

4 comentários:

Lenita disse...

Obrigada por divulgar meu blog. São apenas alguns escritos onde coloco minha alma.

Beijos. Sempre apareça!

citadinokane disse...

Pronto. Temos alma por aqui.
Beijos

Anônimo disse...

Pedro, a Lenita precisa ser mais divulgada. Te confesso, sinceramente, que adorei a sua poesia, um misto de Clarice Lispector com Cecília Meireles, como eu entendi. O existencial e o lírico. E o mais belo está nas entrelinhas.
Nilton Atayde.

citadinokane disse...

Nilton,
Tens a percepção daqueles privilegiados, sem frescura... A poesia pulsa e se revela em poucas linhas.
Ave Lenita!
Abraços amigo Nilton,
Pedro