quarta-feira, maio 19, 2010

A menina e o poeta num déjá vu...


O meu amigo Davi ganhou um prêmio pela poesia abaixo, foi no concurso de poesia da Assembleia Paraense. A juventude de Davi se transborda em lirismo rabiscado em papel de embrulhar pão, não fiquem assustados, é isso mesmo! Assim como a primavera não escolhe jardim, Davi quando inspirado saca de sua caneta e escreve seus sentimentos em qualquer papel, inclusive no de embrulhar pão, o quê? Nunca viu esse papel?!
Mas como ia dizendo, a poesia do menino Davi foi feita para uma menina... Evoca uma menina que pode ser Maria, Joana, Teresa, muitas em uma só: A menina.

"A Menina (David Carneiro)

Faz dois dias que não paro de pensar na menina
Alguns anos antes, ela não tinha cara de coisa alguma
Seu corpo era só ausência e resquícios de promessa
Seu sorriso voava de beija-flor em beija-flor
Sem ainda desabrochar para qualquer encanto.

O fato é que a menina foi acontecendo
Como uma pequena alvorada para um dia claro
A transição perfeita dos efeitos que não tinham causa
Como um arrebol que anuncia um mistério da vida
Ou como um girassol brincando de colorir os pássaros

Do meu quarto penso nessa menina que surgiu
E começam, em sua ausência, a me doer todas as janelas
No para-peito faço alguma sentinela de coração amante
Fingindo ser um homem só de adeuses para o mundo
Querendo aparar cada gota de segundo que cai do céu

Agora que me foi surgindo essa menina como um raio
Permaneço quieto e encantado no dorso da vida
Colhendo dentro de mim a flor infecunda do desejo
E escrevendo palavras como quem atira flechas
Queimando a mão com o fogo que me consome o peito"

4 comentários:

Maria Flor da Terra disse...

Amigo, parabens . Seu belo poema deixou-me emocionada.
Amei, siga em fente amigo.
Sucesso, bjão

Flavia Sena disse...

Simplesmente amei!!!
bjs

citadinokane disse...

Mariazinha,
O poema é do Davi.
bjs

citadinokane disse...

Oi Flávia!
Faz tempo que a gente não se fala, né?
A menina... Quem é a menina???
Beijos