terça-feira, junho 01, 2010

A paz e o lamento de tantos "ais"

A paz invadiu o meu coração
De repente, me encheu de paz
Como se o vento de um tufão
Arrancasse meus pés do chão
Onde eu já não me enterro mais
(...)
Eu vim
Vim parar na beira do cais
Onde a estrada chegou ao fim
Onde o fim da tarde é lilás
Onde o mar arrebenta em mim
O lamento de tantos "ais"
(Gilberto Gil)


Quero falar de paz...
Paz? Onde? Quando?
No Oriente Médio?
Houve uma verdadeira lambança do Exército israelense na segunda-feira de madrugada.
Desastrados... Soldados israelenses invadiram a "Frotilha Liberdade", queriam encarcerar a pomba da paz, o serviço secreto de Israel havia mapeado a perseguida paz, interceptaram diálogos em que a paz iria levar solidariedade ao povo sofrido e humilhado da Faixa de Gaza.
Não deu outra, como a paz bateu asas e voou, o Exército israelense não perdeu a viagem, meteu balas em militantes da paz.
Quantos ainda deverão morrer para que a paz habite entre eles?

6 comentários:

ANA PAULA disse...

Paz...um pouco utópico. Provavelmente só teremos paz, quando as grandes potências deixarem de ter carne para canhão.
Nessa altura não restará ninguém para contar a história, porque os que sobrarem terão vergonha.
Beijinho e obrigada por estares no meu cantinho.
Espero estar à altura... :-))

citadinokane disse...

Ana,
As utopias movimentam o mundo, sem utopias não dá!
Romântico dizer que um dia as flores vencerão os canhões, a utopia é essa - um mundo de tolerância.
beijos

Anônimo disse...

Mermão , enquanto o tal de Deus e sua "mania" de "eleitos" e dogmas estiver em voga , não haverá paz.
Abraços
Tadeus , rsrsrs

Anônimo disse...

Pedro, legal a lembrança desta barbárie que o exército israelense cometeu. Mas gostaria que a população da Terra Firme fosse escutada quando sofreu inúmeros abusos por parte de policiais militares que invadiram suas casas de madrugada, pisotearam seus filhos, e levaram pessoas inocentes para "averiguações", isso depois de terem levado muita "porrada"!!! Ironicamente o nome da "planejada"(bem à moda militar, que a tudo planeja...)operação era "Força de Paz". Esses policiais humilharam crianças, mulheres, homens. Humilhações não se justificam nunca. Toda essa história foi "coroada" com a palhaçada de policiais militares colocando 3 crianças (independente do que tenham praticado, lhes deixo ainda a presunção de inocência)para dançar o tal "baculation". Nossos pobres irmãos palestinos tem algo de muito comum com nossos irmãos daqui: a barbárie do cotidiano implementada por forças militares.
abrço mermão. E obrigado pelo espaço de desabafo.

Sergio Martins
Advogado da SDDH

citadinokane disse...

Tadeu,
Não sou contra os judeus, mas não aceito o "sionismo", ele contraria o princípio democrático da cidadania... Um Estado Judeu em que os "outros" não-judeus não são respeitados, vide os palestinos, arábes e etc.
Num mundo globalizado, onde buscamos superar ódios gerados por nacionalismos exacerbados, Israel como uma "nação" judia, vai na contramão... Israel deveria ser um Estado plurinacional, judeus, arábes, todos ali vivendo com direitos iguais...
Uma utopia?

citadinokane disse...

Serginho,
Boa lembrança. Já até postei sobre o "baculation", lamentável...
O espaço continua aberto, ok?!
abs