quarta-feira, junho 09, 2010

STJ rejeita união estável entre homem e duas mulheres

O STJ não aceita a bigamia, não se pode servir a Deus e ao Diabo ao mesmo tempo.
A Agência Estado noticiou ontem (08/06/2010) que o Superior Tribunal de Justiça em maio decidiu que é impossível no direito brasileiro o reconhecimento da duplicidade de uniões estáveis entre um homem e duas mulheres.
Para saber melhor sobre o caso vai um resumo abaixo:
Um ex-agente da Polícia Federal manteve durante anos e ao mesmo tempo relacionamentos afetivos com sua ex-mulher e com uma companheira que dele se aproximou depois que o policial se divorciou. Em 2003, ele morreu num acidente e as duas mulheres recorreram à Justiça pedindo que fossem reconhecidas as duas uniões estáveis.
A ministra Nancy Andrighi da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), relatora da demanda judicial, ressaltou que a sociedade brasileira é monogâmica, e não aceita o atenuamento do dever de fidelidade, que integra o conceito de lealdade.
Prevaleceu no julgamento o reconhecimento da união estável entre o ex-agente e a segunda companheira. O relacionamento dos dois data de 1994 até o dia da morte do homem. Com a ex-mulher, o ex-agente se casou em 1980. Tiveram três filhos e os dois se divorciaram em 1999, mas a ex-mulher alegou que continuaram a se relacionar até a morte.
Com certeza quando a esposa descobriu do caso extraconjugal, pegou corda das amigas, mãe e parentes e resolveu pedir o divórcio. E depois afrouxou...
Aí o Dom Juan titularizou a amante e a ex-esposa se tornou amante.
O final da história é o seguinte - o gastoso morreu e deixou uma pensão apetitosa e "federal", ex-esposa e ex-amante voaram em cima.
Quem está sorrindo à-toa?
A ex-amante.
Ela chora de saudades do "bonitão" - garantiu uma velhice tranquila.
Mundo cão!

2 comentários:

ANA PAULA disse...

Isto quase parece uma piada.
Pelos vistos a "justiça" não é muito diferente, de País para País...
Os espertos e os sacanas é que se vão safando...
Beijo....

citadinokane disse...

Ana Paula,
A Justiça é cega, não enxerga nada, nada...

beijos