quarta-feira, agosto 25, 2010

Cantar seus próprios cantos...

Ao novo mundo que se apresenta a partir da revolução da internet, copio um excerto de uma prosa do poeta Vinicius de Moraes e ofereço a todos que fazem da sua vida um instrumento de paz, amor e tolerância.

“A esse mundo, só a poesia poderá salvar, e a humildade diante da sua voz. Parece tão vago, tão gratuito, e no entanto eu o sinto de maneira tão fatal! Não se trata de desencantá-la, porque creio na sua aparição espontânea, inevitável. Surgirá de vozes jovens fazendo ciranda em torno de um mundo caduco; de vozes de homens simples, operários, artistas, lavradores, marítimos, brancos e negros, cantando o seu labor de edificar, criar, plantar, navegar um novo mundo; de vozes de mães, esposas, amantes e filhas, procriando, lidando, fazendo amor, drama, perdão. E contra essas vozes não prevalecerão as vozes ásperas de mando dos senhores nem as vozes soberbas das elites. Porque a poesia ácida lhes terá corroído as roupas. E o povo então poderá cantar seus próprios cantos, porque os poetas serão em maior número e a poesia há de velar.” (Vinicius de Moraes)

6 comentários:

Luciana Klopper disse...

Vinicius de Moraes, perfeito!!!
Amigo obrigada pelo carinho, gosto mto de vc, e dessa sua amizade!

Tânia Defensora disse...

Salve Vinicius!
A bela poesia escrita com sentimentos elevados e vivenciada pelos que leem e pelos que escrevem pode mudar o mundo mesmo.

Pedrinho saudades de vc e de Belém também!
Obrigado, estamos bem.

Mari disse...

Pedro,

Precisamos cantar a nossa poesia também nos botecos da vida, rsrsrsrs...

Tô te aguardando hein!?

Bjs

citadinokane disse...

Lu,
Volte sempre, portas abertas para ti.
bjs

citadinokane disse...

Tânia,
Salve!
Muito bom te ver por aqui.
bjs

citadinokane disse...

Mari,
Sou formiguinha... És cigarra???
bjs