quarta-feira, agosto 25, 2010

Encontro marcado com a vida.

Os filhotes angustiados no ninho.
A águia robusta estende suas asas por sobre o ninho, o seu olhar penetrante fixa os filhotes e percebe a angústia deles. Chegou o momento.
O instinto impõe que ela empurre os filhotes da beirada do ninho para um encontro com o propósito de suas vidas: voar.
Além do ninho só o abismo e o ar, as asas passam a dar sentido à condição de águia.
As emoções confusas... O medo de cair fortalece a resistência dos filhotes aos empurrões da mãe-águia.
É o momento.
O empurrão final. A queda. O suspense. O coração materno em polvorosa...
Os filhotes descobrem as asas, o empurrão se constituiu no sublime ato de amor...
Os filhotes voaram.

Nenhum comentário: