sexta-feira, outubro 29, 2010

Boizinho Estrelado.

"Boizinho Estrelado
Quanta espera
Eu vou pra janela..."


Acima a minha homenagem ao músico Eduardo Bueres.
O Boizinho Estrelado é a cara dele, as toadas são lindas...

quarta-feira, outubro 27, 2010

Os Simpsons e Banksy.

Banksy é um artista londrino que trabalha com arte grafitada, tem muita coisa interessante. Ele empresta o seu talento na abertura do desenho animado Os Simpsons, vejam abaixo.

Os Simpsons do último dia 10 de outubro nos EUA, teve a abertura assinada pelo artista underground londrinopor Banksy, aqui no blog já postamos os trabalhos desse artista. Ele inovou protestando contra o trabalho escravo. Banksy mostra trabalhadores orientais e crianças, em condições de escravidão, produzindo bonecos e dvds do desenho animado Os Simpsons.
Banksy põe o dedo na ferida, com a globalização, o capitalismo busca regiões onde se paga preço vil para o trabalho humano, crianças são recrutadas para esses trabalhos.
Existem milhões de pessoas em situações degradantes e escravizantes, os economistas esquecem dos "sobrantes", Banksy não.
Assista o vídeo e fique indignado com o trabalho similar ao trabalho escravo.

Café Portela a minha bolha.

Café Portela fica no Município de Ananindeua, aqui bem pertinho de Belém.
Certa vez comentei com um amigo que o boteco do "Portela" é uma bolha em Ananindeua, às vezes encontramos mais pessoas daqui de Belém do que de lá, e por alguns momentos nos distanciamos de toda a "maldade" que existe... O chorinho sempre generoso. Dedé dedilhando o violão plangente, Ceará no cavaquinho pincelando o pedacinho do céu ao lado a flauta conversando com o pandeiro, muitos sons, muitos virtuoses...
Com o seu cabelo esquisito Léo Tocantins desfia o seu repertório de MPB e toadas que eu já conheço de cor, e o povo não cansa de gritar: - Léo trocaste a letra, mano!
Pedrinho Cavaléro tocando e cantando é uma maravilha, o cara é bão pra cacete, quando ele entona a bossa nova no Portela, a sensação que a gente tem é que a diva Leny Andrade vai aparecer para fazer um dueto com o Pedrinho, isso é bom demais!
Eduardo Bueres, todo pávulo, vaidoso mesmo, chega com aquele ar de galã de novela mexicana, aprumado e com a viola acomodada no regaço começa a desfilar as toadas do "Boizinho Estrelado"... Ê boi!
O ponto alto da estadia no Café Portela, a apoteose, Flávio Portela senta com a tuba e os músicos começam o concerto, o samba ao som do tambor do Flávio e a sua voz anasalada emociona a todos...
A imagem acima mostra em primeiro plano o Flávio em transe, lá no fundo Maurício Pascoal e Bueres.
Momentos inesquecíveis passei no Portela e espero que essa bolha não se dissolva, nunca.

sábado, outubro 23, 2010

O Paraíso é uma questão pessoal.

Hoje é um sábado lindo!
O sol convidando a gente para correr o mundo...
Acima a imagem de uma praia que eu adoro, muito aprazível sentar à sombra de uma árvore, comendo um peixe frito e jogando conversa fora...
Um professor da UFRJ quando levado para conhecer esse paraíso ficou espantado, não acreditou que era praia de rio, ele dizia: - Meu Deus! Tem ondas...
A imagem de cima foi captada por mim em pleno sábado de agosto. Anota aí, eu estava feliz pra garaio!
Ah! O nome da praia?
Paraíso.
É isso mesmo! Paraíso é um paraíso e fica na Ilha de Mosqueiro - Belém/Pará/Amazônia/Brasil.
É uma delícia chegar a esse pedaço de tranquilidade, as estradas bem asfaltadas, as barracas servem comidas saborosas e a praia é pouca frequentada, talvez porque seja deslocada do eixo das praias mais urbanizadas e populares.
Por uma questão pessoal: - Paraíso é a minha praia.

sexta-feira, outubro 22, 2010

Ditados revisitados III

Corrigindo ditados:
Atenção!

"Cor de burro quando foge." 

 O correto é:
 
"Corro de burro quando foge!"

E aí dotô, é pra levar ou deixar as galinhas?

Escutei este causo pela primeira vez da boca do meu amigo Marcelo Costa, os causos contados pelo Marcelinho são impagáveis... A capacidade de discorrer com leveza e graça [igual o andar das moças de minibiquini nas areias do Atalaia] as anedotas é impressionante e considero uma virtude do Marcelinho Mecogi.
Vamos contar o causo ocorrido com o cabeçudo Ruy Barbosa de Oliveira, mais conhecido como Rui Barbosa - grande expoente do campo jurídico da República Velha.
Iniciarei o causo como todos os contos que escutei, que começam assim...
Era uma vez...  O Rui Barbosa sentado numa cadeira de balanço no pátio de sua casa, descansava preguiçosamente dos afazeres do Ministério da Fazenda quando de repente escuta os seus galináceos em alvoroço...
Levanta-se com o barulho e dirigi-se ao seu quintal. Ao chegar no quintal, verifica que um homem maltrapilho tentava pular o muro levando juntamente suas galinhas caipiras. Não se conteve e corajosamente andou em direção do gatuno, ao surpreendê-lo com suas penosas cacarejando, disse: Oh, bucéfalo anacrônico! Como ousas atravessar o umbral de minha vivenda? Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus galináceos à sonsice e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se fazes para zombar da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à qüinquagésima potência que o vulgo denomina - nada.
E o ladrão, confuso, diz:- E aí dotô, é pra levar ou deixar as galinhas?

A magistratura brasileira e os absurdos.

Ainda ontem em sala de aula debati com os alunos o papel do magistrado em nossa sociedade. Historicamente a magistratura sempre foi em nosso país elitizada, desde a colonização e depois no império e república os magistrados eram selecionados entre os que eram economicamente dominantes. O próprio curso de Direito somente em 1827 foi criado no país, isto quer dizer que antes estudar Direito só na Europa, os brasileiros em sua maioria se formavam em Coimbra.
Eram os filhos dos poderosos fazendeiros que cursavam Direito e ocupavam os vários postos que surgiam no novo Estado brasileiro - pós 1822, dentre as profissões jurídicas - a magistratura.
Os magistrados em nosso país sempre se sentiram e muitos ainda se sentem como semideuses, senão a própria Themis.
Sempre ciosos em servir os donos do poder, os magistrados brasileiros ideologicamente se vinculam à classe dirigente do nosso país. Ao cidadão comum, sem parentes importantes, muitos magistrados falam grosso e são rigorosos na aplicação da lei; aos cidadãos de 1ª classe (existe?) falam fino e são coniventes em casos absurdos.
Sempre fico genuflexo diante da Constituição de 1988, tornou obrigatório o concurso público para a magistratura, possibilitando que jovens acadêmicos de Direito possam sonhar em ocupar a magistratura e mudar essa instituição tão resistente à democratização, a sociedade ainda precisa se apropriar do Judiciário.
Lendo o Blog do Noblat, constatei que ainda existem magistrados que falam grosso com os mais frágeis e afinam com os poderosos, é um absurdo!
Leiam o post do Noblat:
_______________________
"Sou Ari Pargendler, presidente do STJ. Você está demitido"

A frase acima revela parte da “humilhação” vivida por um estagiário do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) após um momento de fúria do presidente da Corte, Ari Pargendler (na foto).
O episódio foi registrado na 5a delegacia da Polícia Civil do Distrito Federal às 21h05 de ontem, quinta-feira (20). O boletim de ocorrência (BO)- que tem como motivo “injúria real” - recebeu o número 5019/10. É assinado pelo delegado Laércio Rossetto.
O blog procurou o presidente do STJ, mas foi informado pela assessoria do Tribunal que ele estava no Rio Grande do Sul e que não seria possível entrevistá-lo por telefone.
O autor do BO e alvo da demissão: Marco Paulo dos Santos, 24 anos, até então estagiário do curso de administração na Coordenadoria de Pagamento do STJ.
O motivo da demissão?
Marco estava imediatamente atrás do presidente do Tribunal no momento em que o ministro usava um caixa rápido, localizado no interior da Corte.
A explosão do presidente do STJ ocorreu na tarde da última terça-feira (19) quando fazia uma transação em uma das máquinas do Banco do Brasil.
No mesmo momento, Marcos se encaminhou a outro caixa - próximo de Pargendler - para depositar um cheque de uma colega de trabalho.
Ao ver uma mensagem de erro na tela da máquina, o estagiário foi informado por um funcionário da agência, que o único caixa disponível para depósito era exatamente o que o ministro estava usando.
Segundo Marco, ele deslocou-se até a linha marcada no chão, atrás do ministro, local indicado para o próximo cliente.
Incomodado com a proximidade de Marcos, Pargendler teria disparado: “Você quer sair daqui porque estou fazendo uma transação pessoal?"
Marco: “Mas estou atrás da linha de espera”.
O ministro: “Sai daqui. Vai fazer o que você tem quer fazer em outro lugar”.
Marco tentou explicar ao ministro que o único caixa para depósito disponíve era aquele e que por isso aguardaria no local.
Diante da resposta, Pargendler perdeu a calma e disse: “Sou Ari Pargendler, presidente do STJ, e você está demitido, está fora daqui”.
Até o ministro se apresentar, Marco diz que não sabia quem ele era.
Fabiane Cadete, estudante do novo semestre de Direito do Instituto de Educação Superior de Brasília, uma das testemunhas citadas no boletim de ocorrência, confirmou ao blog o que Marco disse ter ouvido do ministro.
“Ele [Ari Pargendler] ficou olhando para o lado e para o outro e começou a gritar com o rapaz. Avançou sobre ele e puxou várias vezes o crachá que ele carregava no pescoço. E disse: "Você já era! Você já era! Você já era!”, conta Fabiane. “Fiquei horrorizada. Foi uma violência gratuita”.
Segundo Fabiane, no momento em que o ministro partiu para cima de Marco disposto a arrancar seu crachá, ele não reagiu. “O menino ficou parado, não teve reação nenhuma”.
De acordo com colegas de trabalho de Marco, apenas uma hora depois do episódio, sua carta de dispensa estava em cima da mesa do chefe do setor onde ele trabalhava.
Demitido, Marco ainda foi aconselhado por funcionários da Seção de Movimentação de Pessoas do Tribunal, responsável pela contratação de estagiários, a ficar tranqüilo porque “nada constaria a respeito do ocorrido nos registros funcionais”.

O delegado Laercio Rossetto disse ao blog que o caso será encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) porque a Polícia Civil não tem “competência legal” para investigar ocorrências que envolvam ministros sujeitos a foro privilegiado."

Pargendler é presidente do STJ desde o último dia três de agosto. Tem 63 anos, é gaúcho de Passo Fundo e integra o tribunal desde 1995. Foi também ministro do Tribunal Superior Eleitoral.


quarta-feira, outubro 20, 2010

A Nova Musa de David Carneiro

A Nova Musa é o título da nova poesia do semeador de novas inquietações, brincamos ao chamá-lo pelo seu codinome: Carlos "o chacal".
O correto mesmo era chamá-lo de Davi "o poeta", poeta que resgata a ternura perdida...
Leiam o David Carneiro, abaixo:


A Nova Musa
"O corpo da nova musa insurgiu-se em minha palma
Despertando como rosa preguiçosa em verso lânguido
Cantavam deuses que a viam como extasiados
Era a mais nova Vênus que nascia.

No primeiro dia ela descansou. E, logo, o mundo era todo seu.
A nova musa dançava alegremente em seu vestido
Traçava arcos e espirais rodopiando
Tingindo de sal e amarelo os girassóis do campo.

O sorriso da nova musa também rodou o mundo.
Sortiu mistérios e até chorou sozinho.
Desconfio que compartilhei com a nova musa a riqueza
Daqueles que viveram a mais profunda solidão da alma

O sorriso da nova musa me atrai e me fascina
Fazendo-me aspergir de encanto e imitar a arte
De bondade e de malícia que transpira a musa
Que me ata de repulsa e de vontade

Serão meus olhos poesia ou paisagem
Para os olhos da musa que passeia impune pela vida?
Em lábios que me param o próprio tempo
Em gestos que derramam despedida."


David Carneiro 17/09/10

Ela canta...

Dedicado à Káritas(leitora oculta)


Estava dentro do carro num engarrafamento, final da tarde, sol já se despedindo, raios bem alaranjados, baixo o vidro do carro e uma brisa suave beija meu rosto...
Tudo parado. Continuo prazerosamente esperando no carro, esperando, esperando tranquilamente para chegar em casa. De repente, começo a escutar uma pessoa cantando alegremente, é uma senhora que lavando roupas, começa estendê-las, aproveitando os últimos raios solares. Do carro fiquei mirando aquela senhora tão feliz numa choupana na beira da estrada, como a felicidade é contagiante, comecei a cantar, ahahaha...
Aí lembrei que Fernando Pessoa no livro [O eu profundo e os outros eus - Editora Record] discorria o seu olhar poético sobre uma mulher do povo, ela cantava também...

Ela canta, pobre ceifeira (Fernando Pessoa)

Ela canta, pobre ceifeira,
Julgando-se feliz talvez;
Canta, e ceifa, e a sua voz, cheia
De alegre e anônima viuvez.


Ondula como um canto de ave
No ar limpo como um limiar,
E há curvas no enredo suave
Do som que ela tem a cantar.


Ouvi-la alegra e entristece,
Na sua voz há o campo e a lida.
E canta como se tivesse
Mais razões p'ra cantar que a vida.

Ah, canta, canta sem razão!
O que em mim sente está pensando.
Derrama no meu coração
A tua incerta voz ondeando!

Ah, poder ser tu, sendo eu!
Ter a tua alegre inconsciência disso! Ó céu!
Ó campo! Ó canção! A ciência

Pesa tanto e a vida é tão breve!
Entrai por mim dentro! Tornai
Minha alma a vossa sombra leve!
Depois, levando-me, passai!
[1914]

domingo, outubro 17, 2010

A natureza vira a mesa da razão.

Hoje pela manhã tive uma experiência frustrante... Depois entrei no carro e comecei a cantarolar a música abaixo do Chico Buarque. Deus, eu pensei que fosse Deus/ E que os mares fossem meus/Como pensam os ingleses...
Não se pode deixar a soberba tomar conta da gente, o resultado é desastroso, podem confirmar com o meu amigo Jober, ok?!
A letra dessa música é um soco no estômago, de tanta certeza nunca mais serei soberbo, pois a natureza vira a mesa da razão.

Mais, mais que a vida em minha mão
Mais que jura de cristão
Mais que a pedra desse cais
Eu te dei certeza
Da certeza do meu coração
Mas a natureza vira a mesa da razão

Por hoje é só.

Embarcação (Francis Hime/Chico Buarque)
Sim, foi que nem um temporal
Foi um vaso de cristal
Que partiu dentro de mim
Ou quem sabe os ventos
Pondo fogo numa embarcação
Os quatro elementos
Num momento de paixão


Deus, eu pensei que fosse Deus
E que os mares fossem meus
Como pensam os ingleses
Mel, eu pensei que fosse mel
E bebi da vida
Como bebe um marinheiro de partida, mel
Meu, eu julguei que fosse meu
O calor do corpo teu
Que incendeia meu corpo há meses
Ar, como eu precisava amar
E antes mesmo do galo cantar
Eu te neguei três vezes
Cais, ficou tão pequeno o cais
Te perdi de vista para nunca mais


Mais, mais que a vida em minha mão
Mais que jura de cristão
Mais que a pedra desse cais
Eu te dei certeza
Da certeza do meu coração
Mas a natureza vira a mesa da razão

Herculano Almeida: - Yes, We Can!

O nome dele é Herculano Almeida, deu uma virada na vida e se reinventou perto dos 50 anos...
Resolveu virar ator e foi estudar seriamente artes cênicas, deu uma bicuda naquela velha vida, abrindo uma fenda na modorra cotidiana.
Não é fácil atingir o sucesso, o meu amigo José Almeida, irmão do Herculano, comentou comigo que o Herculano rala-pra-cacete em São Paulo, mas como um bravo guerreiro kaiapó vai sobrevivendo na selva de pedra.
O Zé me liga e diz: - O Herculano tá participando da série "Morando Sozinho" que estréia no canal "MultiShow".
Vamos informar direitinho.
O Herculano representa o personagem "Elias", o zelador faz-tudo. A série "Morando Sozinho" em nove episódios, uma comédia produzida por DINAMO, com produção executiva de Clay Lins e dirigido por Pedro Capri.
A estréia é hoje (17 de outubro de 2010), às 21h, no Multishow.
O Herculano tem um Blog, anota aí: http://www.herculanoalmeida.blogspot.com/
A Folha de São Paulo já entrevistou o ator paraense, olha aí abaixo.


Conhecendo mais um pouco o Herculano Almeida, perguntas feitas e respostas no e-mail:
CitadinoKane->Quando despertou o ser ator?
Herculano Almeida->Depois de fazer Biodanza [uma técnica terapêutica criada pelo Chileno Ralando Toro] trabalhei como terapeuta corporal na Clínica Mansão Vida, que atendia pacientes com transtorno mental e dependência química. O trabalho era muito estressante e fui fazer um curso de teatro com objetivo de desestressar. Foi ai que conheci o palco, em 1997, chequei a fazer sete montagens como ator e nove como diretor. Ingressei na faculdade e em seguida fui dar aula de teatro no Colégio Projeção e no SESC Taguatinga em Brasília-DF.Em 2006 fui demitido da Mansão Vida depois de nove anos de trabalho e muita dedicação. Decidi ir para São Paulo fazer um curso com a Fátima Toledo, preparadora de elenco para cinema. Tive a sorte de conhecer o Betinho (José Roberto Magalhães) meu parceiro, que me convidou para realizar meu primeiro curta metragem. Ele tinha uma câmera e experiência em cinema, juntou com uma idéia que eu tinha. Fizemos o curta “Cegueira” inspirado na obra “ensaio sobre a cegueira” do premio Nobel de literatura de José Saramago. Foi um aprendizado fantástico.Só ganhei meu primeiro dinheiro como ator profissional, quando fiz uma diária no longa metragem “Linha de Passe” de Walter Sales e Daniela Thomas.

CKane->São muitas as dificuldades encontradas nessa profissão?
HA->Não conhecia ninguém quando cheguei em São Paulo e ninguém me conhecia, eu tinha mudado de profissão aos 48 anos, quem acreditaria? Para sobreviver, fui garçom, fiz muita festa de criança como Palhaço e locução de porta de loja. E no meio tempo ia fazendo cursos, e era chamado para fazer figuração e participação em curtas-metragens, aí fui adquirindo experiência com câmera e fazendo amizade com a galera do cinema.

CKane->Participação em televisão?
HA->Com propaganda fiz 4 nacionais: CBN 2007, TIGRE 2009 "a dança do conduite", TIM 2008, SEBRAE 2010 “E agora?”. Na Band fiz participação na novela “Água na Boca”, fui o Edgar no programa Tribunal na TV com Marcelo Rezente. Fiz uma participação no seriado da Globo “SOM E FURIA”. No SBT, fiz o carcereiro Zé da novela “Vende-se Um Véu de Noiva”. No Multishow, sou o Elias, um zelador, personagem do Seriado “Morando Sozinho”, que estréia dia 17/10/2010.

CKane->E o futuro?
HA->Estou produzindo no momento "Sou o Pai Dele” um monólogo para o teatro, o texto é de minha autoria e conta a estória de um paciente esquizofrênico que nunca foi escutado por seu médico, ele vira morador de rua e fica conversando com um saco de lixo. A estréia vai ser em Brasília. Estamos em pré produção do curta “1 X 1” (assino o roteiro) vai ser rodado em Belém. Estou em três curtas, até o fim do ano. 

sexta-feira, outubro 15, 2010

Simples...


"Tudo é tão simples que cabe num cartão postal..." (Cazuza)

Periquita derramado...

Putzgrila! O meu periquita derramou... Já tinha ingerido umas nem-sei-quantas taças, ô irresponsável! Os deuses estão me amaldiçoando.
Oh Baco!
Perdoai-me, perdoai-me...

Um Papo Sobre o Eco-Capitalismo.

Tenho amigos intelectuais que ficam atentos aos movimentos das marés...
Lá pelas tantas chega um artigo, um texto recomendado ou criticado, amigos sempre atentos, nas entrelinhas mundos desvendados...
Maurício Leal Dias é um cara atento, rockeiro, apreciador de vinhos, capaz de dizer qual a uva e localidade do plantio, e mais, se foi homem ou mulher que colheu a uva... Bastando que a primeira gotícula do licor dos dioses se derrame pelas papilas gustativas de sua imensa língua, ahahaha... Disse que ele era linguarudo?! Desculpe-me companheiro, é uma injustiça! Nunca falaste mal de Marx quando pertencias a Nova Esquerda, por isso te perdoei.
Deixarei de papo-furado. Maurício enviou-me um artigo de um professor da USP, muito interessante.
________________________________

"Repassando, para os amigos que se encantaram com o papo eco-capitalista da Marina, texto do Prof. Vladimir Safatle, da USP
abs
Mauricio.

Marina Silva em Wall Street
Com o programa econômico mais liberal entre todos, PV apresentou o novo centro, com roupagem “moderna”
Wladimir Safatle, Folha de S.Paulo, 4 de outubro de 2010

“Wall Street” é, entre outras coisas, o nome do novo filme do cineasta norte-americano Oliver Stone. Ele conta a história da crise financeira de 2008 tendo como personagem central um jovem especulador financeiro que parece ter algo semelhante ao que um dia se chamou pudor.
Sua grande preocupação é capitalizar uma empresa, que visa produzir energia ecologicamente limpa, dirigida por um professor de cabelos brancos e ar sábio. O jovem especulador é, muitas vezes, visto pelos seus pares como idealista. No entanto, ele sabe melhor que ninguém que, depois do estouro da bolha financeira, os mercados irão em direção à bolha verde. Mais do que idealista, ele sabe, antes dos outros, para onde o dinheiro corre. Enfim, seu pudor não precisa entrar em contradição com sua ganância.
Neste sentido, “Wall Street” foi feliz em descrever esta nova rearticulação entre agenda ecológica e mundo financeiro. Ela talvez nos explique um fenômeno político mundial que apareceu com toda força no Brasil: a transformação dos partidos verdes em novos partidos de centro e o abandono de suas antigas pautas de esquerda.
A tendência já tinha sido ditada na Europa. Hoje, o partido verde alemão prefere aliar-se aos conservadores da CDU (União Democrata-Cristã) do que fazer triangulações de esquerda com os sociais-democratas (SPD) e a esquerda (Die Linke). Quando estiveram no governo de Schroeder, eles abandonaram de bom grado a bandeira pacifista a fim de mandar tropas para o Afeganistão. Com o mesmo bom grado, eles ajudaram a desmontar o Estado do bem-estar social com leis de flexibilização do trabalho (como o pacote chamado de Hartz IV). Daniel Cohn-Bendit, um dos líderes do partido verde francês, fez de tudo para viabilizar uma aliança com os centristas do Modem. Algo que soaria melhor para seus novos eleitores que frequentam as praças financeiras mundiais.
No Brasil, vimos a candidatura de Marina Silva impor-se como terceira via na política. Ela foi capaz de pegar um partido composto por personalidades do calibre de Zequinha Sarney e fazer acreditar que, com eles, um novo modo de fazer política está em vias de aparecer. Cobrando os outros candidatos por não ter um programa, ela conseguiu esconder que, de todos, seu programa era o economicamente mais liberal. O que não devia nos surpreender. Afinal, os verdes conservaram o que talvez havia de pior em maio de 68: um antiestatismo muitas vezes simplista enunciado em nome da crença na espontaneidade da sociedade civil.
Não é de se estranhar que este libertarianismo encontre, 40 anos depois, o liberalismo puro e duro. De fato, a ocupação do centro pelos verdes tem tudo para ficar. Ela vem a calhar para um eleitorado que um dia votou na esquerda, mas que gostaria de um discurso mais “moderno”. Um discurso menos centrado em conflitos de classe, problemas de redistribuição, precarização do trabalho e mais centrado em “nova aliança”, “visão integrada” e outros termos que parecem saídos de um manual de administrador de empresas zen. Alguns anos serão necessários para que a nova aliança se mostre como mais uma bolha.
Vladimir Safatle é professor no departamento de filosofia da USP."
______________________________

Não deixem de visitar o blog do Maurício Leal Dias http://juscidade.blogspot.com/

quarta-feira, outubro 13, 2010

Salomão Habib

A irmã do Salomão foi minha aluna e a gente conversava muito sobre a arte de Salomão Habib, um dos maiores violonista brasileiro, acompanhe os dedos dele dialogando com as cordas... D+!
Já ganhei alguns CDs do Salomão, tenho escutado muito o "Sonhos na Amazônia II: amazônia continental". Salomão passeia pelas "Valsas Venezuelanas 2 e 3", "El Condor Passa", "Rituais Indígenas Kraho e Juruna" e "Carimbós", muito maestria... É paraense.
Abaixo no vídeo do YouTube, Salomão executa "Recuerdos de La Alhambra", peça do compositor espanhol Francisco Tárrega executada em trêmulo. Salomao Habib utiliza violão Jorge Raphael, Pinho.
Ave Salomão Habib!!!

Tirar o cavalo da chuva?

Mais uma contribuição do amigo Nilton Atayde, vamos lá!

TIRAR O CAVALO DA CHUVA?
- Pode ir tirando seu cavalinho da chuva porque não vou deixar você sair hoje!
No século XIX, quando uma visita iria ser breve, ela deixava o cavalo ao relento em frente à casa do anfitrião e se fosse demorar, colocava o cavalo nos fundos da casa, em um lugar protegido da chuva e do sol. Contudo, o convidado só poderia pôr o animal protegido da chuva se o anfitrião percebesse que a visita estava boa e dissesse: "pode tirar o cavalo da chuva". Depois disso, a expressão passou a significar a desistência de alguma coisa.

Quatro coisas na vida...


Nunca esqueça que existem quatro coisas na vida
que não se recuperam :

A pedra - depois de atirada;
A palavra - depois de proferida;
A ocasião - depois de perdida:
O tempo - depois de passado.

Curiosidades...

Todo mundo sabe que a filha da Xuxa com o Luciano Szafir se chama Sasha.

Mas... e se fosse com o Senna?
- Rasha. 
E se fosse com o Antonio Erminio de Morais?
- Ricasha.
E se fosse com o Presidente da Tostines?
- Bolasha.
E se fosse com o Ratinho?
- Escrasha.
E se fosse com o Jacare do Tchan?
- Agasha. 
E se fosse com o Rubinho Barrichello?
- Pasha. 
E se fosse com o Frango da Sadia?
- Cosha.
E se fosse com o Remo?
- Rebasha (kkkkkkkkkkk)
E se fosse com alguém que Acredita e Vota no Serra?
- TROSHA (melhor de todas)

sábado, outubro 09, 2010

Sem celulites...


Depois de acompanhar o "arrastão do pavulagem", juntamente com o amigo de faca amolada - Osvaldo Jr., fui à Praça do Carmo, assistir o Show do Pavulagem e outros.
Comentários do Osvaldo, após a constatação de que a celulite era uma constante nas muitas mulheres lindas que estavam na praça: - Pô Pedro! Sem sacanagem, considero que elas são lindas quando a celulite aparece, são humanas!
É a condição feminina! Não existe mulher sem celulite, não necessariamente nessa ordem...
Quem acredita?
A mulher da imagem acima não tem celulite, só músculos, iguais aos meus... Do tempo de ferreiro, ahahaha...
Ela é linda, não?!

sexta-feira, outubro 08, 2010

Che Guevara para sempre!


“O verdadeiro revolucionário é movido por grandes sentimentos de amor.”(Che Guevara)

No dia 8 de outubro de 1967, Ernesto Che Guevara era preso pelo exército boliviano numa escola de La Higuera distando 50 kilometros de Vallegrande, Bolívia.
Era tempo de covardia... Che foi executado em 9 de Outubro de 1967.
Che Guevara acreditava no internacionalismo da revolução socialista. O general René Barrientos presidente da Bolívia não acreditava nisso, ordenou a execução de Che Guevara para agradar o Tio Sam.
Nove tiros interromperam o sonho - a Revolução Cubana se expandir pela América Latina.
Aos 39 anos Che Guevara saiu da vida e entrou para a história tornando-se um ícone da esquerda, a juventude latinoamericana e mundial embalam os ideais de Che: - Um mundo humanizado.
Em 1997 os seus restos mortais foram encontrados sob o terreno do aeroporto de Vallegrande.
Che Guevara foi finalmente enterrado com pompas em Santa Clara em 17 de outubro de 1997.
Um breve depoimento, carregava o livro de Eduardo Galeano "As veias abertas da América Latina", quando em 1998 desembarguei em Havana, mas quem me trazia ao país de Fidel? Minha resposta: - Che.
Aos amigos que deixei em Cuba, além da cerveza bucanero, as perguntas sobre Che e a revolução.
Caminhar por Havana e abraçar o povo cubano foi uma experiência maravilhosa, não há indiferença em relação ao embargo e as dificuldades econômicas, existe um povo pronto  a se levantar e construir o seu futuro.
Amei Cuba de Che e Fidel.

A Questão do aborto na campanha presidencial.

Num momento de campanha eleitoral para Presidente da República, um tema surgiu na mídia com uma força muito grande: o aborto.
Colocarei com todas as letras a minha posição: - Sou contra!
Mas, nunca fiz disso uma bandeira, e compreendo as muitas situações difíceis que as brasileiras são expostas quando são forçadas a praticar o aborto.
Os segmentos conservadores da sociedade, principalmente a Igreja Católica, nunca apoiaram as propostas que ao longo da história recente do nosso país foram feitas em relação ao "planejamento familiar".
Todos concordamos que os pobres podem ter filhos, mas existem situações que é necessário programar a maternidade, criando condições favoráveis para que uma família constituída possa receber os "herdeiros" e dignamente educá-los, é possível!
A Igreja Católica, através do Papa, sustenta que o católico não deve utilizar camisinha na prática sexual... isto é o fim da picada!(literalmente)
Parlamentares e governantes temem que os bispos e padres excomunguem os políticos que votarem uma política de planejamento familiar, alguém poderia me responder o porquê???
Uma blogueira me advertiu que o tema é sério e não pode ser tratado da maneira que está sendo tratado. Concordo.
Há um jogo do tudo-ou-nada nos apoiadores da candidatura Serra, revoltante a utilização de tema tão delicado... A tentativa de demonizar a candidatura de Dilma com a questão do aborto é um golpe baixo, o aborto não se resume em ser a favor ou contra, coloca a necessidade de políticas públicas para o crescente índíce de mortalidade de mulheres que se submetem ao aborto.
O "planejamento familiar" a igreja católica abortou... Não vai adiante.
Sem esclarecimentos e educação não há como evitar a gravidez, e aí? Cada vez mais cedo as moças são mães... Vamos passear pelo Guamá, Pedreira, Telégrafo, Barreiro... um mar de crianças soltas nas ruas, parece que brotam do chão.
O chão do conservadorismo e ignorância.

Abaixo matéria que retirei da Revista TPM nº 41. A jornalista Soninha Francine, que coordena a campanha do José Serra na internet, declara que fez aborto e relata como foi e assume o ato.
Seria interessante ela se manifestar e expor para o Serra que o tema não pode ser tratado da maneira que o PSDB e DEM tratam.


A atriz Vera Zimmermann, a apresentadora Cynthia Howlett, a vereadora Soninha Francine e a VJ Penélope Nova já fizeram aborto. Um milhão de brasileiras passam pela mesma experiência todos os anos. Segundo nosso Código Penal, escrito em 1940, todas estão cometendo um crime. Vera, Cynthia, Soninha e Penélope tiveram a coragem de mostrar a cara porque são a favor da legalização do aborto. Nenhuma delas têm boas lembranças da experiência. Mas sabem que não é com ameaça de cadeia que vai se conseguir resolver o problema.

PENÉLOPE NOVA
�Provocar um aborto não é uma coisa natural, não é saudável e não é gostoso. Não acho que o aborto deva ser incentivado, mas também não cometi nenhum crime. É por isso que defendo a descriminação. E não apenas em meu nome, mas em nome das mulheres que vêem no aborto a única alternativa, a ponto de enfiarem uma tesoura na vagina para poder provocá-lo.�
Penélope Nova, 31 , é VJ da MTV

SONINHA FRANCINE
�O budismo, a religião que sigo, diz que você não deve tirar a vida de nenhum ser. Para o budismo, o feto, a célula fecundada, é um ser. Mas não há como negar: as pessoas fazem aborto. E, quanto mais escondido, maior o risco. Se você se espeta com uma agulha de crochê no banheiro da rodoviária é grande a chance de ter uma infecção. Então, a melhor coisa a fazer é tentar diminuir o número de vidas perdidas nesse processo.�
Soninha Francine , 37, é vereadora em São Paulo e apresentadora da ESPN

Leia a íntegra dos relatos de Penélope Nova e Soninha Francine e os depoimentos de Cynthia Howlett e Vera Zimmermann na Tpm # 41

terça-feira, outubro 05, 2010

Amar... Carlos Drummond de Andrade.

Amar
(1960 - ANTOLOGIA POÉTICA)

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar,desamar, amar?
Sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

(Carlos Drummond de Andrade)

A nova imagem do Osama Bin Laden by FBI

O FBI divulgou a nova imagem do Osama Bin Laden, abaixo.
Com certeza o Tiririca diria que o Osama ficou com cara de "Abestado", não?!
O que vosmeces acham?

Significado do Ok?

Sempre que possível iremos esclarecer algumas curiosidades. Blog é cultura!
Como surgiu o significado do OK?
Vamos matar essa charada...
A expressão inglesa "OK" (okay), é mundialmente conhecida por significar algo que está tudo bem. A sua origem remonta à Guerra de Secessão Americana. Quando os soldados voltavam para as suas bases sem nenhum companheiro de tropa morto, escreviam numa placa "0 killed" (nenhum morto), expressavam grande satisfação com a ausência de mortos, daí surgiu o termo "OK" para tudo bem.

Polícia: Aviso importante!

Atenção blogueiros!!!
O meu amigo que é delegado da polícia civil me enviou a informação abaixo. Se ele está pedindo para divulgar, eu obedeço. Leiam com muita atenção e avisem os parentes, ok?!


 AVISO IMPORTANTE

SE ALGUM DIA ENCONTRAR PINTADO EM SEU MURO OU PORTÃO QUALQUER UM DOS SÍMBOLOS ABAIXO, RETIRE-O IMEDIATAMENTE, POIS SÃO UTILIZADOS POR GRUPOS DE ASSALTANTES QUE, ASSIM, SE COMUNICAM:

[b]^ = Fácil de assaltar pela manhã

-> = Fácil de assaltar pela tarde

V = Fácil de assaltar pela noite

? = Estão fora, mas há dificuldade

7 = Casa vazia em julho (o n° representa o mês)

?+ = idoso sozinho todo dia

ESTA INFORMAÇÃO FOI FORNECIDA PELA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA.
DIVULGUE PARA TODOS OS SEUS CONHECIDOS.

sexta-feira, outubro 01, 2010

Folha de São Paulo censura blog no judiciário

Folha de São Paulo censura um site de sátira. E o pior de tudo conseguiu no Judiciário uma tutela antecipada para retirar o site do ar.
Pimenta nos olhos dos outros é refresco no nosso... Depois ficam pousando de paladinos da "liberdade de imprensa", ahahaha...
Só porque o site fazia uma paródia do jornal dos Frias, era o "Falha de São Paulo", os caras ficaram doidos de raiva, não conseguiram emplacar o Serra e correm o risco de 2º turno em São Paulo, é muita coisa para a cabecinha do Otávio Frias
O site:www.falhadespaulo.com.br


Entrevista com Aziel Neves

Hoje vou me fantasiar de jornalista, ahahaha...
Será que o sindicato dos jornalistas não vai encher o meu saco?
Pô não tenho o canudo de jornalista, mermão! Não é obrigatório, mas sabe-como-é-que-é o nariz torto dos caras para os blogueiros, né?!
Pensei, quando começou a campanha eleitoral de 2010, em entrevistar aqui no blog alguns candidatos mais próximos da gente, mas a agenda (sempre ela!) deles nem sempre tinha espaço para um blogueiro, eu choro por isso! Não tem espaço, não tem espaço e pronto.
De repente um candidato começa a surpreender o pessoal que acompanha o momento político-eleitoral no Estado do Pará: Aziel Neves.
Na projeção do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, o festejado DIAP publicou uma lista com os prováveis deputados federais do Estado do Pará, na lista aparece em 8º lugar o Aziel Neves, uma grande surpresa, principalmente para o pessoal da esquerda, ninguém conhecia o Aziel.
Encontrei com ele e marcamos uma entrevista no blog. Nenhuma agenda impediu a entrevista, vamos conhecer um pouquinho o Aziel, ok?!


CKane Entrevista Aziel Neves.
Recebo no escritório do blog o candidato Aziel Neves, candidato a deputado federal pelo PSC. Aziel é uma pessoa carismática, sorriso fácil... Já se passaram uns seis anos desde que nos encontramos pela primeira vez. A fraternidade sincera é a corrente que nos envolve até hoje.
Você faz parte do melhor que Deus tem!
Aziel chega na hora marcada, é muito falante e engraçado, um forte abraço e as primeiras palavras dele ao me abraçar: - Você faz parte do melhor que Deus tem!
Agradeci dizendo em alto tom: - Aleluia! [risos e gargalhadas estridentes]
Tenho ainda um Cd no qual o Aziel canta umas músicas do Ed Mota, o cara manda muito bem... O ar expulso dos pulmões pelo diafragma vibra no ar melodiosamente, eis aí o músico, compositor, cantor... Aziel é pura criatividade musical.
Aziel é um pastor evangélico diferente, o culto em sua igreja da Assembléia de Deus, na esquina da Dr. Moraes com Nazaré, é muito frequentado por jovens, como Aziel é músico, acabou atraindo com a linguagem da música uma nova geração de evangélicos, todo domingo de noite a igreja fica lotada de jovens. Olho pra ele pedindo paciência com o gravador antigo, ele fica rindo... Sei que não posso abusar do tempo precioso do candidato, por isso farei uma entrevista bem curta. 

CitadinoKane: Boa tarde Aziel!
Aziel: Boa tarde meu irmão.
CKane:Aziel vamos ao que interessa. A nossa entrevista - respostas sucintas, peloamordedeus!
Aziel: Vamos lá!
CKane: Quem é Aziel Neves?
Aziel: Nascí em Belém, tenho 39 anos, sou casado com Léa Neves há 19 anos e temos 3 filhos: Leiza, Laissa e Emanuel. Sou produtor e arranjador musical, cantor, compositor, ministro do evangelho, nascido num lar cristão, estudei em colégios católicos para manter meus principios de valorização do ser humano, na adolescência saí por um período dos bancos da igreja a qual pertenço e fui tentar me achar nas noites da década de 90, fiz muitos amigos que preservo até hoje, mas reconhecí que minhas realizações eram maiores na casa de Deus, nas universidades por onde passei sempre fazendo amigos, me dediquei ao máximo no mais importante que existe desta vida, ensinar e motivar pessoas a acreditarem que existe uma mudança e que ela começa dentro de cada indivíduo. Fiz rádio durante 5 anos, TV durante 7 anos e assim fui estruturando minha vida diante de amigos e irmãos que hoje são parceiros de uma carreira que se eu mesmo projetasse pra mim talvez não conseguisse alcançar. Na Igreja fui lider de corais, lider de jovens, liderei reunião de empresários, realizei e realizo shows nos teatros pra mostrar o valor da música, seja ela gospel ou secular, cantada ou instrumental. Hoje sou Pastor Auxiliar da Assembléia de Deus e pastoreio a igreja da Av. Nazaré esquina com Dr. Moraes, onde tenho uma banda e lidero outras 7 que se empenham como músicos tanto dentro e como fora da igreja.
CKane: Por que disputar uma vaga para deputado federal?
Aziel: Estou saindo da cadeira de crítico para a cadeira de criticado, vejo grandes brechas que sequer são ventiladas na câmara, leis que sequer foram aplicadas, leis que não saem do papel, recursos que não são fiscalizados, pessoas sem voz, sem reconhecimento, sei que não sou o salvador da pátria, mas enxerguei no fim do túnel a chance de ser voz de muitas classes, de vários amigos que hoje enfrentam o descaso dos governantes e a amnésia dos verdadeiros motivos da razão de ser um político atuante.
CKane: Se eleito, o mandato será da bancada evangélica ou da sociedade paraense?
Aziel: Antes de ser cristão sou cidadão belemense, paraense e brasileiro(não desisto nunca) [risos], defenderei a nossa sociedade como um todo e como já disse antes quero ser voz dos sem-voz e nisto se inclui os evangélicos.
CKane: Uma proposta que será defendida com unhas-e-dentes em Brasília?
Aziel: A valorização dos músicos de nosso Estado, acredito que somos, senão o maior, um dos maiores celeiros musicais do Brasil, infelizmente hoje só somos reconhecidos pelo carimbó e calípso por causa da força da mídia, tem muitos talentos e nichos musicais aqui no Pará, não sou contra as raízes pelo contrário, sou divulgador dos frutos e não há frutos sem raízes. Unhas e dentes pela educação que começa em casa com uma grande ajuda de mestres nos bancos escolares, todos têm o seu valor e sua participação, pais, alunos e mestres.
CKane: O que mais gosta de fazer quando não está pregando a bíblia?
Aziel: Amo muito a música e o surf, pode ter certeza que se não estiver ministrando a palavra estarei tocando com amigos, cantando com amigos ou surfando com amigos e meu filho Emanuel Neves.
CKane: Torce para qual clube de futebol no Pará?
Aziel: Sou Papão até a morte[risos e gargalhadas], e tenho a grata honra que Deus me deu de pastorear meu amigo e hoje técnico do Papão - Charles Guerreiro.
CKane: Deixe a sua mensagem para os eleitores paraenses.
Aziel: Amigos temos uma grande chance hoje de começar uma nova fase de mudança no quadro politico de nosso Estado, acredito muito na força da juventude e quero desafiar você a fazer o mesmo, se você se acha capaz, nas próximas eleições seja candidato a vereador e seja voz de um segmento social sem voz, de uma classe sem voz, existem dois tipos de eleitores: aqueles que geram a opção e com isso já se mostram como lideranças; e aquele em quem são geradas as opções, ainda existem 70% de eleitores que não sabem em quem votar, mas agora você já sabe, então gere a opção e a opção é 2000 para Deputado Federal, vote no 2000. Deus abençoe a todos, feliz votação, até a vitória.
_________________________

Alguns vídeos do Aziel Neves abaixo: