quarta-feira, novembro 10, 2010

Crônicas do Xingu II por André Nunes.

"Estamos em fins de agosto. Tempo de praia e ovo de tracajá. O rio esta baixo. O muro de arrimo que nada arrima, pois nada havia a arrimar, é bem alto. Há umas escadinhas de cimento, estreitas, íngremes, coladas no paredão. Não dá para subir com mercadoria ou mesmo bagagem pessoal.
Nas extremidades da “avenida”, partes menos nobres, há rampas de embarque e desembarque.

Não convém que índios, ribeirinhos e pescadores conspurquem, com seus andrajos, o lócus de lazer da nova elite.
Seria no mínimo antiestético.

Perto de onde estou, na extremidade de baixo, há a casa dos índios.
Por vezes os vejo passar.
Criaturas estranhas, vestidos como cristãos, mas deselegantes, fora de moda, descalços, ou com sandálias de dedo.

As mulheres arrastando curumins passam cabisbaixas, tímidas, deslocadas, sem fitar as pessoas, meio que apressadas, como a passar por um corredor polonês de olhares e gestos, quando não explicitamente hostis, fingindo indiferença. Cunhãs.

Creio que os índios, os ribeirinhos, os pescadores, enfim, os despossuídos, só se sentem em casa, quando atravessam a tal mureta e pisam a areia e a grama da beira do rio.

O Xingu é democrata.

Sinto um nó na garganta. Impotência. Vergonha."

O post acima foi escrito por André Nunes, escritor, paraense, cabôclo nascido (dizque) no Xingu, tem um restaurante chamado "Terra do Meio".

8 comentários:

Anônimo disse...

great share, great article, very usefull for me...thank you

as-nunes disse...

Pedro

Emociona esta prosa. Fica-se, de facto, com uma sensação de impotência. A pensar em como há muita coisa a fazer neste mundo. Cada um de nós a ter a obrigação de fazer a sua parte.
-
Hoje recebi um livro que a Câmara (Prefeitura) de Viseu (a minha terra natal) me enviou. Fala-se de Viseu - Portugal e Viseu - Pará. Dei uma olhadela, para já. Vou gostar de ler coisas de Viseu do Nordeste do Brasil.
Depois gostava de trocar umas impressões contigo, meu amigo.

Um abraço
António

Chica disse...

Forte depoimento esse.Profundo! faz pensar! abraços,chica

citadinokane disse...

António,
Só uma correção o Pará fica no norte e não nordeste. Fique tranquilo, as pessoas no Brasil confundem também, misturam tudo...
Viseu fica no nordeste do Pará, perto de Bragança, não conheço, mas já fiquei interessado, e vou me preparar para a troca de impressões, ok?
abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Chica,
O André nasceu e viveu o Xingu.
abs

Anônimo disse...

Além disso , escreveu um livro du caramba sobre o Xingu e seus povos.
Abras
Tadeu

citadinokane disse...

Tadeu,
E é o depositário da fórmula da jamburana, não esqueça, ok?!

citadinokane disse...

Anônimo das 08:40,
Volte sempre!
Thank you