domingo, dezembro 05, 2010

Jovens bárbaros. Pais omissos.

Após as agressões de cinco jovens da classe média paulistana contra um rapaz que eles achavam que era gay, agressões gravadas por câmera de segurança de um prédio, cabe refletirmos sobre a aplicação da justiça ao caso concreto. Os pais desses jovens têm muita responsabilidade com os atos praticados por eles, acima de tudo fica a demonstração de que foram péssimos educadores.
Todos nós corremos o risco de sermos agredidos nas ruas do Brasil  por esses bárbaros.
Vergonhoso a defesa feita pelos pais, as imagens são fortíssimas, não há justificativas. Se fossem jovens pobres que tivessem agredidos jovens da classe média, a Justiça seria mais dura, querem apostar?!
Marco André músico paraense, gravou um samba com letra que lembra a morte do índio pataxó Galdino. Há treze anos em Brasília, o índio Galdino foi participar da comemoração do dia dos índios, perdeu o ônibus e resolveu dormir na parada de ônibus, alguns jovens jogaram álcool no corpo do pobre índio e tocaram fogo nele. Galdino teve queimado 95% do corpo e não sobreviveu.
Eram jovens de classe média alta, um era filho de juiz federal, outro filho de ministro do TSE e por aí vai, a justificativa deles - pensavam que era um mendigo. Sendo mendigo podiam queimar?! Triste... Prestem atenção na letra do samba.

4 comentários:

Anônimo disse...

É meu velho , não sei se é porque sou frouxo e detesto porradaria ; apesar de lógico vez por outra estar metido no meio quase sempre defendendo agressões a mim ou a pessoas queridas ; acho a truculência e a covardia vergonhas maior do ser humano principalmente perpetradas contra mulheres , crianças e mais fracos.
Macho pra mim é windsurfista ou big riders , esses dominam o vento e o mar no braço , pra eles tiro meu chapéu humildemente.
Abraços
Tadeu

Mari disse...

Não bastassem esses absurdos, agora foram para dentro das escolas e até as universidades. Agora as agressões são contra os Professores. Que país é este em que vivemos??? Não dá pra entender. Acho que medidas devem ser adotadas para coibir essas selvagerias dentro das escolas e universidades.

Bj

Mari (Pedra de Alquimia)

citadinokane disse...

Tadeu,
Foste cirúrgico, preciso, certeiro!
Não consigo ficar indiferente a uma injustiça, já peguei porrada por causa disso, mas dei pernadas a três-por-quatro... Quem me bateu saiu machucado, sou marajoara... Quase kaiapó.
abs

citadinokane disse...

Ei Mari!
Sou professor e não vou pegar "porrada" de ninguém, sério!
Sou faixa preta em Jiu-Jitsu, imobilizo rapidamente qualquer engraçadinho. Quem vai meter a cara?!
beijos