domingo, janeiro 23, 2011

Pinto antigo e pinto novo.

Acima Jota Pinto e Elias Pinto.
É muito pinto num espaço pequeno, né?!
Uma tarde na Academia Paraense do Peixe Frito, a imagem capta dois Pintos imortais...

18 comentários:

Guará Matos disse...

Que coisa, amigo...
hahahaha!
Abraços.

Tozé Franco disse...

Ora viva.
Estão com cara de quem comeu bem (peixe frito?)!
Um abraço desde este lado do Atlântico.

Paola Vannucci disse...

Rapaiz

é muita pinga, ce não acha não?,

mas olha esses dois devem ter seus valores, pois gostei da foto.....

equipe3pontos disse...

hum... peixe frito.... ah... feliz ano novo!!! Peixe frito.... hummmm...

ELIAS RIBEIRO PINTO disse...

Salve, companheiro:
Como atesta o flagrante delit(r)o, dois Pintos podem, a despeito da física, ocupar o mesmo espaço de uma foto.
E naquele sábado, hein, saíste desbussolado depois da visão daquele épico labirinto jamburânico de livros. Nem o Guilherme de Baskerville de O Nome da Rosa encontraria a saída. Foste dar (no sentido de se chocar), Ícaro desguiado, no Bar do Parque, diz a lenda.
E assim caminha, desbussolada, a humanidade jamburânica.
Aquele abraço!
Elias

citadinokane disse...

Guará,
Meu escritor, são muitos pintos por esses lados, rsrsr...
abs

citadinokane disse...

Tozé,
Muito peixe-frito e jamburana.
Um grande abraço meu irmão.

citadinokane disse...

Paola,
Eles bebem somente jamburana, sério!

citadinokane disse...

Marcela,
Misturaram o peixe-frito...

citadinokane disse...

Amigo Jamburânico,
O Haroldo já havia me confidenciado do teu amor incondicional pela cadela de "raça ainda desconhecida" que habita o quintal da tua casa. O teu reencontro no quintal com a cachorrinha era uma cena para Fellini filmar: - Belo!
Percebi o quanto essa desgraçada da jamburana faz mal pra gente, ficaste de cócoras conversando com a cachorra, ora com a testa franzida, silente apenas admirando a cadelinha, em outro momento em convulsivo chôro nonsense entrecortado com frases soltas e sem nexo.
Cheguei em casa peguei a garrafa de jamburana e joguei fora e fui dormir em paz, argh! Antes tivesse engatado pelo lendário Bar do Parque, antes tivesse...

ELIAS disse...

Ei, companheiro, que cadela, que cachorrinha? Já estás sob a posse do delirium-jamburanicus? Calma que ainda virão tracajás, centopeias, lacraias e, o pior, (argh) duduciomales.

Lafayette disse...

Amigo, notícias crueis, mas inevitável: O Rest. TERRA DO MEIO irá encerrar suas atividades.

Este próximo Domingo, dia 30/01 será o último dia do restaurante.

A partir de Domingo ele irá funcionar somente para eventos fechados, tipo confraternizações, aniversários, coisas do tipo.

Foi bom enquanto durou, amigo.

Lafayette disse...

Bem que poderíamos, todos, marcar uma despedida, sábado ou domingo, lá no TERRA. Solvendo os últimos litros da jaburana mágica. Que tal?

citadinokane disse...

Elias,
Eu juro que eu vi uma cadela... huumm... uma iguana ou seria um pato???
Tu és phoda! Começas a jogar a dúvida na gente.
abs

citadinokane disse...

Lafa,
Pô! Uma pena que o Terra tenha que fechar as portas, uma pena.
Faremos que o dia 30 seja eterno!

citadinokane disse...

Lafa,
Vou articular com o Elias, Osvaldo e a turma dos caricaturistas, ok?!

J.BOSCO disse...

êpa, tô nessa eterna despedida jamburânica, Nelito!
tudo que é bom dura pouco...??

citadinokane disse...

Boskito,
Vamos no sábado em romaria?
O nosso adeus, com lágrimas e lenços brancos... Jambulândia... O sonho não acabou?!
Abs e te ligo mano.

Pedro