sábado, maio 14, 2011

Tanta verdade nos versos de Cecília Meireles.

Grande poetisa - Cecília Meireles.
A poesia tão importante em nossas vidas, suavisa, alenta e nos projeta em mundos nunca dantes visitados...
Tão dialeticamente singela, a poesia de Cecília Meireles merece ser redescoberta pela nova geração. Ela consegue falar do universo a partir da simples asa de uma borboleta, simples como a vida e o amor é a poesia de Cecília Meireles.
Tanta verdade nos versos...

Um Cântico e uma Canção de Cecília Meireles


Cântico II

Não sejas o de hoje.
Não suspires por ontens...
não queiras ser o de amanhã.
Faze-te sem limites no tempo.
Vê a tua vida em todas as origens.
Em todas as existências.
Em todas as mortes.
E sabes que serás assim para sempre.

Não queiras marcar a tua passagem.
Ela prossegue:
É a passagem que se continua.
É a tua eternidade.
És tu.


Canção Mínima

No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta


O cântico e a canção acima foram extraídos da "Antologia Poética", Editora Record - Rio de Janeiro, 1963, págs.25 e 32.

4 comentários:

Sandra S. Menezes disse...

Gostei!
como foi seu aniversário querido Pedro?
Felicidades,muita saúde!!!!
bjs

Lila Magritte disse...

Sabiduría poética. Belleza y profundidad.


Un abrazo, Pedro.

citadinokane disse...

Sandra,
Fui incentivado a ingerir bebida alcoolica e o organismo não se deu bem, mas sobrevivi...
Obrigado pela lembrança!
Bjs

citadinokane disse...

Lila,
Os poetas são sábios e videntes.
bjs